Professores decidem manter greve mais longa da história da UFPR

por Felipe Ribeiro, via portal Banda B

UFPR em greve. Foto: blog Circulando por Curitiba.

Em assembleia conturbada e por apenas 13 votos de diferença, os professores da Universidade Federal do Paraná decidiram, na tarde desta quarta-feira (5), manter a greve que já dura 111 dias na centenária instituição. Com o auditório da Administração do Centro Politécnico lotado, 238 professores defenderam a continuidade do movimento, enquanto 225 votaram pelo fim do moviemnto.

No domingo (2), o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino (Andes), que representa a maior parte dos professores federais, defendeu a continuidade da greve, mas reconheceu a possibilidade de uma saída unificada da paralisação, já que algumas instituições já decidiram pelo encerramento do movimento.

Amanhã, os professores da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) decidem se mantém ou não o movimento grevista. Em Londrina, os docentes da instituição decidiram encerrar o movimento ontem.

7 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to mention I’m beginner to blogs and certainly liked this blog site. Most likely I’m likely to bookmark your blog post . You amazingly come with fantastic article content. Thanks a lot for sharing with us your website page.

  2. Com essa decisão os professores dão um tiro no próprio pé.

  3. Luis Neves dos Santos eu também estudei na UFPR. Fiz Engenharia Civil. Não concordo com você. Lá tem poucos professores meia-boca. A maioria tem ótimo nível.

  4. esse negocio de greve .me lembra o tempo do sarney presidenteda republica .depois que acabaram as eleições . ninguem fez mas greves .depois quem tinha um pezinho de meia no banco ,acordou com as contas broqueadas. tem muita gente querendo o lugar desses grevistas,eles se acham que não tem pessoas capacitada ,estão enganados ,pois pode ser taxados de rebeldia e abandono do emprego. direito sim ,mas isso ja e falta de vergonha e relacho..

  5. Os professores fazem greve, mais ainda continuam indo aos seus gabinetes trabalhando como se nada tivesse acontecendo. Quando essa galera vai entender que o governo só aceita acordo em base de pressão, não estou falando somente na UFPR mais sim de todas as universidades federais. Se essa galera não sair pra rua queimar pneu e causar prejuízo o governo vai continuar batendo o pé falando que não vai negociar.

  6. esta greve tem praso para acabar : do dia 08 de outubro em diante não teremos mais greves. fazer greve depois das eleições não faz sentido! a politica ja passou mesmo..

  7. Estudei na UFPR e sei que lá tem muito professor meia-boca. Pela qualidade das aulas dadas nesta universidade, o correto seria cortar o salário deste pessoal. Não estão contentes, peçam demissão e vão tentar ganhar mais na iniciativa privada.