Prefeitura de Maringá, aliada de Richa, questiona aumento de 16,5% na tarifa de água

Ezequias Moreira é diretor de Relações com Investidores da Sanepar.
Se coisa está feia para os aliados do governador Beto Richa (PSDB) imagine como está para os do andar de baixo.

O secretário municipal de Saneamento e Meio Ambiente de Maringá, Leopoldo Fiewski, desceu a borduna no reajuste de 16,5% nas tarifas de água e esgoto da Sanepar anunciado para março. Ele quer justificativas da empresa, informa o repórter Murilo Gatti, do jornal O Diário.

“A Sanepar precisa justificar, dentro da planilha, este reajuste. Temos um plano de saneamento aprovado e publicado e não é o aumento de inflação que justifica, mas sim o plano de investimento”, afirma o secretário.

A prefeitura de Maringá é pilotada por Silvio Barros II (PP), irmão do secretário de Estado da Indústria e Comércio, Ricardo Barros, aliado de primeira hora do governador tucano.

A Sanepar argumentou que este é o segundo reajuste na tarifa de água e esgoto em 7 anos e que o valor cobrado no Estado é um dos menores do Brasil.

A empresa só deixou de explicar que o aumento da água atende somente aos interesses dos sócios privados.

Ezequias Moreira, ex-chefe de gabinete de Richa na prefeitura da capital, é o diretor de Relações com Investidores da Sanepar. Ele faz “dobradinha” com o Antônio Carlos Belinati (diretor Comercial), filho do ex-prefeito londrinense Antônio Belinati. Ou seja, o reajuste da tarifa da água passou pelas mãos dos moiçolos.

Comments are closed.