4 de julho de 2018
por esmael
Comentários desativados em Temer corta 70% da verba de combate ao trabalho escravo, denunciam auditores

Temer corta 70% da verba de combate ao trabalho escravo, denunciam auditores

A fiscalização da exploração de crianças e do trabalho análogo à escravidão não é prioridade para o golpista e elegítimo Michel Temer (MDB-SP). No ano passado, foram congelados 70% do orçamento do setor e a quantidade de auditores é a menor em 20 anos. Leia mais

19 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em Contra os direitos dos trabalhadores, Flávio Rocha da Riachuelo é o candidato do MBL à Presidência

Contra os direitos dos trabalhadores, Flávio Rocha da Riachuelo é o candidato do MBL à Presidência


O dono da rede de lojas Riachuelo, Flávio Rocha, condenado por trabalho escravo e sonegação de direitos trabalhistas, está recebendo o apoio do MBL de Kim Kataguiri para sua pré-candidatura à Presidência da República. Kim manifestou a escolha em sua coluna na Folha. A outra opção que combina com o ideário fascista do MBL seria Jair Bolsonaro (PSL). Mas segundo o jovem, faltam a Bolsonaro propostas concretas e articulação política. Leia mais

15 de março de 2018
por esmael
Comentários desativados em “Trabalho escravo nunca mais!”, dizem juízes em greve pelo auxílio-moradia

“Trabalho escravo nunca mais!”, dizem juízes em greve pelo auxílio-moradia

Foto: Rafael Costa/divulgação.

Juízes federais em greve nesta quinta (15) entoarem a palavra de ordem “trabalho escravo nunca mais!”, em São Paulo, durante manifestação pela manutenção do auxílio-moradia de R$ 4,3 mil mensais. A informação é da Globonews. Os magistrados lembraram a ex-ministra Luislinda Valois. Leia mais

3 de novembro de 2017
por esmael
18 Comentários

“Ministra-escrava” fez declaração de “boa-fé” sobre salário de R$ 33 mil

Subitamente, a ministra dos Direitos Humanos Luislinda Valois, do PSDB, virou motivo de espancamento midiático porque comparou sua atividade e o salário de R$ 33 mil com o trabalho escravo. A meu ver, ela fez uma declaração de “boa-fé” ao requerer salário de R$ 60 mil — extrapolando o teto estabelecido pelo Supremo.

24 de outubro de 2017
por esmael
3 Comentários

STF restabelece a Lei Áurea

Provocado pelos deputados Alessandro Molon (Rede-RJ) e Aliel Machado (Rede-PR), e senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o Supremo Tribunal Federal restabeleceu a Lei Áurea que o governo Michel Temer (PMDB) havia revogado com a Portaria 1.129, do Ministério do Trabalho.

18 de outubro de 2017
por esmael
12 Comentários

O mundo se levanta contra liberação do trabalho escravo por Michel Temer

O afrouxamento na fiscalização ao trabalhado no escravo no Brasil somado às emendas parlamentares e à “cartinha” são os ingredientes usados por Michel Temer (PMDB) para livrar-se, na Câmara, da denúncia de organização criminosa e obstrução à justiça.

15 de fevereiro de 2016
por admin
1 Comentário

Artigo: Governistas e oposição unidos pela pauta “cão chupando manga”

Artigo de Milton Alves*

Nesta semana começa de fato o ano político, e tudo indica que vamos atravessar um período de ofensiva conservadora, patronal e antissocial contra direitos e conquistas consagrados na Constituição de 1988 e do longo e duradouro pacto social e laboral expressos na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Também alvo da ofensiva, pauta apresentada pelo executivo, de uma extemporânea e regressiva “reforma da Previdência”.

Trata-se como declarou uma liderança sindical, “de uma pauta ruim para a classe trabalhadora, de efeitos terríveis. É o cão chupando manga se essa pauta vingar”.

É uma ofensiva que se concretizada deixará o povo trabalhador completamente desamparado, abrindo espaço para uma precarização sem precedentes da força de trabalho. Uma ameaça de retrocesso que acontece num quadro político de fragilidade do governo, de crescente desemprego e pauperização das camadas mais vulneráveis da sociedade.

Enquanto isso, na superfície, o noticiário político é preenchido sobre propriedades de Lula e FHC (e esposa), impeachment e a ação da Lava Jato. No entanto, o que interessa para o capital e seus agentes, o desmonte do estado e dos direitos sociais, segue sendo implementado com régua e compasso afinados.

A pauta “cão chupando manga” pretende realizar a reforma da Previdência, novo modelo de desestatizaçõe

21 de agosto de 2014
por esmael
3 Comentários

OIT e UGT lançam Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo

Representantes sindicais do Brasil, Argentina e Paraguai estarão reunidos em Foz do Iguaçu nesta sexta-feira(22), à s 15 horas, no plenário da Câmara de Vereadores a fim de oficializarem a instalação do Fórum Tripartite contra o Trabalho Escravo. O evento concretiza uma série de reuniões realizadas ao longo do ano na sede do Sinecofi (Sindicato dos Comerciários de Foz do Iguaçu), representado pelo seu presidente, vereador Zé Carlos Neves, quando estiveram reunidos líderes sindicais nacionais e internacionais.

O encontro tem como pauta a oficialização do ingresso do Brasil como membro do Fórum Tripartite (Brasil, Argentina e Paraguai) no enfrentamento de problemas comuns aos membros fronteiriços: trabalho escravo, exploração de menores, crescimento do trabalho informal, falta de representatividade legal ao trabalhador, entre outros. O ato representa o fortalecimento da representatividade dos trabalhadores, em busca de políticas e ações multilaterais para fazer valer a produção e o trabalho e garantir o funcionamento da proteção social!, destaca o sindicalista Zé Carlos.

O presidente nacional da UGT !“ União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah, em seu discurso na Conferência da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra, alertou: Nós não aceitamos nenhum retrocesso quanto à s conquistas obtidas. Não aceitamos também que a crise econômica atual sirva de desculpas para solapar direitos trabalhistas e sociais. O momento exige uma alternativa que valorize a produção, o trabalho decente, a rede de proteção social, a qualidade de vida e a transição para uma economia sustentável. Para tanto, os governos e as instituições multilaterais devem abandonar o receituário único com o qual vem sendo gerenciada a crise, repleto de medidas centradas na austeridade fiscal para os povos e para a economia real. O resultado é mais recessão, mais desemprego, menos renda, menos consumo, menos produção, menos investimento e o aumento do desespero social!.

O presidente da FECEP – Federação dos Empregados no Comércio do Paraná !“, Vicente da Silva, reforça: O trabalh