Moscou Urgente: Datena fura o barco da terceira via ao se filiar no PSD, que pode indicar Pacheco como vice de Lula

Quem será o vice do Lula em 2022? Veja os 11 nomes possíveis para a chapa do petista

Ratinho Júnior jura que fica no PSC

Pelo sim pelo não, Ratinho Junior tem até o próximo dia 19 de março para decidir se vai ou fica -- quando a "janela da infidelidade" se fecha. Abaixo, leia a íntegra da nota oficial.
Pelo sim pelo não, Ratinho Junior tem até o próximo dia 19 de março para decidir se vai ou fica — quando a “janela da infidelidade” se fecha. Abaixo, leia a íntegra da nota oficial.
O deputado licenciado e secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU), Ratinho Júnior, em nota oficial, afirmou nesta quinta-feira (25) que permanecerá no PSC.

Kassab vem ao Paraná nesta segunda-feira para filiar Ratinho Junior no PSD

Ratinho Júnior estaria desconfortável no PSC pelo caráter religioso do partido nacional. Some-se a isso, o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU) estaria de olho no tempo de TV do novo partido. Migração para o PSD antecipa briga por 2018 com a vice Cida Borghetti [leia-se Ricardo Barros].
Ratinho Júnior estaria desconfortável no PSC pelo caráter religioso do partido nacional. Some-se a isso, o secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU) estaria de olho no tempo de TV do novo partido. Migração para o PSD antecipa briga por 2018 com a vice Cida Borghetti [leia-se Ricardo Barros].
O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, desembarca em Curitiba na próxima segunda-feira (29) com a missão de filiar Ratinho Junior no PSD.

O titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU) é deputado estadual licenciado do PSC.

Segundo fontes no Palácio Iguaçu, até terceira ordem, Ratinho migrará para o PSD dentro da “janela da infidelidade” para não perder o mandato.

Quem é Mauro Ricardo Costa, virtual secretário da Fazenda de Beto Richa?

mrc.jpg

Para tentar diminuir a crise financeira, o governador Beto Richa (PSDB) deverá importar Mauro Ricardo Costa para assumir a Secretaria de Estado da Fazenda e tentar melhorar a arrecadação e as finanças do governo.

Segundo fontes do Blog do Esmael no Palácio Iguaçu, Costa teria condicionado o convite à  reforma administrativa, taxação dos aposentados e aumento de impostos. Ele seria o “pai” da malvadeza contra os paranaenses.

O possível novo secretário ocuparia o cargo que hoje é do discreto Luiz Eduardo Sebastiani, que voltaria à  diretoria financeira da Copel.

Mauro Ricardo iniciou como auditor fiscal da Receita Federal e, desde o início dos anos 90, tem uma longa ficha de serviços prestados a governantes do PSDB e do DEM. Por onde passa recebe elogios de aliados, mas também costuma deixar um rastro de denúncias de irregularidades e desvios.

Irregularidades

Em 1999, na gestão de José Serra como ministro da Saúde, Mauro Ricardo foi presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Por irregularidades apuradas o Ministério Público ofereceu denúncia contra Mauro por crime de improbidade administrativa em um “esquema” que teria desviado R$ 56 milhões da Funasa, por meio da contratação de mão de obra terceirizada, inclusive para atendimento a “finalidades políticas”.

Em 2011, no posto de secretário Municipal de Finanças em São Paulo, na gestão Gilberto Kassab, Mauro Ricardo recebeu e arquivou a denúncia contra os fiscais que viriam a ser presos na administração de Fernando Haddad (PT).

Depois de uma passagem por Salvador, onde atuou como secretário de Finanças para o prefeito ACM Neto (DEM), agora Mauro Ricardo Costa poderá desembarcar no Paraná para tentar tirar o governo do estado da penúria.

Segundo Beto Richa, o melhor está por vir! (imagine o pior, caro leitor…).

Portanto, recomenda-se abrir bem os olhos com o forasteiro tucano!

Ligações com FHC, Serra e Aécio

Dividido entre Gleisi e Richa, PSD realiza debate para descer do muro nesta segunda

O presidente nacional da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Ricardo Patah, que é Dilma Rousseff mais que a própria Dilma, estará em Curitiba amanhã (16) para tentar descer o partido de cima do muro; partido está indeciso entre Gleisi e Richa, mas Chico Brasileiro, ao lado de sindicalistas, pode puxar a legenda de Kassab para a esquerda no Paraná.
O presidente nacional da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Ricardo Patah, que é Dilma Rousseff mais que a própria Dilma, estará em Curitiba amanhã (16) para tentar descer o partido de cima do muro; partido está indeciso entre Gleisi e Richa, mas Chico Brasileiro, ao lado de sindicalistas, pode puxar a legenda de Kassab para a esquerda no Paraná.
Nem de direita, nem de esquerda. Muito menos de centro. Pelo contrário. à‰ assim que o PSD (Partido Social Democrático) se autodefine politicamente em todo o país. Embalado pela aquisição do passe! do ex-presidente estadual do PCdoB, Chico Brasileiro, de Foz do Iguaçu, a legenda do ex-prefeito paulistano Gilberto Kassab quer ser protagonista nas eleições de 2014 no Paraná, onde não foge ao script nacional. Aqui nas terras das araucárias, a tropa está dividida entre as candidaturas de Gleisi Hoffmann (PT) e Beto Richa (PSD).

O presidente nacional da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Ricardo Patah, que é Dilma Rousseff mais que a própria Dilma, estará em Curitiba amanhã (16) para tentar descer o partido de cima do muro.

A convite do diretório municipal do PSD (Partido Social Democrático), Patah irá proferir a palestra “Os Movimentos Sociais e a Política”, como parte do projeto “Café com Política”, idealizado pelo deputado estadual Ney Leprevost, que preside o diretório municipal do partido. Se depender dos sindicalistas, os kassabistas paranaenses embarcarão na canoa de Gleisi no ano que vem.

Em parecer dirigido ao TSE, Gurgel diz: PSD de Kassab não tem direito a verbas e tempo de TV

via blog do Josias de Souza

Roberto Gurgel.
Procurador-geral da República e chefe do Ministério Público Eleitoral, Roberto Gurgel enviou ao TSE um parecer contrário à s pretensões do PSD. A legenda criada por Gilberto Kassab pede à  Justiça Eleitoral que reconheça o seu direito! de acesso ao Fundo Partidário e, por consequência, ao tempo de televisão.

No seu parecer, Gurgel ecoa uma decisão do ministro Carlos Ayres Britto, do STF. Sustenta que o PSD, formalmente criado em setembro do ano passado, ainda não participou de nenhuma eleição. Por isso, não tem direito à s verbas do Fundo Partidário. A prevalecer esse entendimento, tampouco terá direito ao tempo de propaganda destinado aos partidos no rádio e na tevê.

Reza a legislação eleitoral que o dinheiro do fundo e o tempo da publicidade eletrônica são calculados conforme o tamanho da bancada dos partidos na Câmara. O PSD alega que, ao migrar para os seus quadros, os deputados trouxeram com eles os votos que obtiveram nas eleições gerais de 2010 por outras legendas.