3 de Maio de 2016
por esmael
5 Comentários

UGT lança campanha contra ‘mosquito Aedes Aegypti’ no 1º de Maio

A União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná, lançou neste 1º de Maio, em Paranaguá, uma campanha de combate ao mosquito Aedes Aegypti — transmissor da dengue — e deu início à campanha pela redução dos juros dos cartões de crédito.

“Hoje, pagamos juros de mais de 400% sobre o cartão de crédito rotativo. Além de uma prática abusiva, é uma agiotagem legalizada em nosso país”, ressalta o presidente da UGT, o sindicalista Paulo Rossi.

Rossi ainda comemorou o reajuste em 11,08% no novo piso mínimo regional para 2016, a conhecida Lei Requião.

As novas faixas salariais variam entre R$ 1.148,40 e R$ 1.326,60. O aumento garante que o menor salário a ser pago, no Paraná, seja superior ao mínimo nacional em R$ 268,20. Atualmente, o salário mínimo nacional é de R$ 880,00.

20 de Fevereiro de 2016
por esmael
15 Comentários

Professores protestam contra Beto Richa em Paranaguá: “Chega de Zika: Mais educação, menos dengue”

O governador Beto Richa (PSDB) foi alvo de novos protestos em Paranaguá, Litoral do Paraná, na tarde desta sexta-feira (19).

Professores pediam ao tucano “mais educação” e ao prefeito Edison Kersten (PMDB) “menos dengue”. Chega de zika, portanto.

O município de Paranaguá registra desde o início deste ano uma epidemia de dengue. A cidade teve mais de 3 mil casos notificados, mais de mil confirmado, e quatro mortes até o início do mês de fevereiro.

Quanto à educação, é chover no molhado dizer que Beto Richa está sendo o pior governador para área.

Ocorreu(?) no dia de ontem leilão para a distribuição de aulas para os professores contratados em regime PSS. Deu quiproquó, de acordo com informações iniciais que chegaram até o Blog do Esmael.

Professores relatam que faltam vagas nas escolas porque turmas foram fechadas na “surdina”. Ontem, por exemplo, os mestres desse regime diferenciado ficaram chupando dedos esperando aulas que não vieram no leilão de distribuição.

“Onde estão as aulas do ano letivo 2016??? Sumiram…”, protestou uma professora PSS numa rede social.
Evidentemente, se professores não encontraram trabalhado é porque turmas foram extintas e haverá superlotação nas salas de aula no início do ano letivo de 2016.

O Blog do Esmael ainda está levantando mais dados a respeito desta questão nas 2,1 mil escolas da rede pública estadual. Se você tiver mais informações e dados, por favor, envie-os para o nosso e-mail.

20 de Fevereiro de 2016
por admin
3 Comentários

Coluna do Jorge Bernardi: Cidadão comemora as Forças Armadas nas ruas

Download áudio

Jorge Bernardi*

Num tempo em a extrema direita pede a volta dos militares ao poder, as Forças Armadas deram um exemplo de civismo ao sair as ruas, na última semana, para combater o inimigo público nº 1, o mosquito Aedes Aegypti.

Mais de 220 mil homens e mulheres, do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, estão percorrendo casa por casa de mais de 400 cidades brasileiras orientando as pessoas sobre os perigos e as doenças causadas por este mosquito, que transmite doenças como a dengue, chikungunya e o vírus Zika.

Já falaram até em suspender as Olimpíadas no Rio de Janeiro deste ano, caso a epidemia se agrave. O vírus Zika está infectando milhares de pessoas no Brasil e no mundo, causando morte e microcefalia em bebês. E pensar que o Brasil, há cerca de 60 anos, em 1955, extinguiu o Aedes Aegypti. Saliente-se que os cientistas ainda não tem certeza absoluta de que o vírus Zika é transmitido por este mosquito.

Acompanhei o trabalho dos militares no bairro onde moro em Curitiba, no sábado 13/02, e pude ver e ouvir, vários moradores agradecendo a eles por levar orientações sobre como combater e evitar os focos do mosquito. Pude perceber que as pessoas se sentiam seguras, protegidas, cuidadas.

Os militares estavam cumprindo o que diz a Constituição (art. 147): “As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”.

As Forças Armadas são essenciais no estado democrático de direito na defesa da nação, garantia dos direitos fundamentais e na manutenção da lei e da ordem. Aos militares não é permitido se sindicalizarem, fazerem greve e se filiarem a partidos políticos.

Os brasileiros querem as Forças Armadas auxiliando no combate ao crime organizado, construindo estradas, ferrovias, protegendo fronteiras, espaço aéreo, e os nossos mares. A nação não aceita e nem mesmo os militares querem outras atribuições a não ser aquelas que a Constituição lhes assegura.

Pregar

12 de Fevereiro de 2016
por esmael
9 Comentários

De conspirador, vice Temer vira caçador de mosquito da República

temer_dengueO vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, desembarcará às 9h15 deste sábado (13), em Curitiba, com a nobre missão caçar mosquito da dengue.

Houve uma evolução considerável do vice, pois, de conspirador, agora virou soldado do combate ao inseto Aedes aegypti — transmissor da dengue.

O senador Roberto Requião (PMDB) não está nessa frente de guerra contra o mosquito porque está em viagem oficial.

1 de dezembro de 2015
por admin
Comentários desativados em Coluna do João Arruda: Dinheiro repatriado deve ir para a Saúde

Coluna do João Arruda: Dinheiro repatriado deve ir para a Saúde

Download

João Arruda*

O déficit de R$ 10 bilhões no orçamento do Ministério da Saúde alerta: 2016 pode ser um ano de caos no setor. Duvida? Acompanhe comigo.

1) Os recursos para atendimentos de média e alta complexidade nos hospitais, por exemplo, só são suficientes para o primeiro semestre.

2) Farmácia Popular? Pode esquecer, também. Cortaram os recursos para bancar remédios mais baratos.

3) A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) não terá dinheiro para combater o Aedes aegypti, que transmite dengue e zyca – o surto de microcefalia vai piorar.

4) As ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) vão parar.

5) As Unidades de Pronto Atendimento, as UPAs, também vão parar, a não ser que estados e municípios banquem 100% do atendimento. Quem tem dinheiro?

É preciso considerar que, além do crescimento vegetativo da população, há também um aumento do número de pessoas que passaram a usar a rede pública de saúde por causa da crise.

Sou o relator do orçamento da União para a saúde, condição que me obriga a buscar medidas que evitem mais sofrimento à população que depende do SUS.

Nós já fizemos uma mudança na Lei de Diretrizes Orçamentárias para garantir mais R$ 3 bilhões para a saúde no ano que vem. Mesmo que o governo não vete, porque há esse risco, é insuficiente.

O único meio de evitar o caos na saúde pública em 2016 é encontrar novas fontes de recursos. Eu tenho uma proposta: aumentar a previsão da receita do dinheiro que será repatriado e colocar R$ 7 bilhões a mais no orçamento da saúde para 2016.

O projeto de lei aprovado na Câmara regulariza, mediante pagamento de multa, o dinheiro enviado por brasileiros ao exterior sem declaração à Receita Federal.

Com a cobrança de multas e de Imposto de Renda, o governo espera legalizar os recursos para elevar a arrecadação e equilibrar as contas pública

17 de Abril de 2015
por esmael
4 Comentários

Enfim, uma notícia boa: Aldo Rebelo pedirá à Anvisa autorização para testes da vacina contra dengue

da Agência Brasil

vacina_dengueO ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, disse hoje (17) após encontro com pesquisadores do Instituto Butantan, em São Paulo, que deve conversar pessoalmente com os responsáveis pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para agilizar autorização para que o instituto antecipe a terceira fase de testes clínicos da vacina contra dengue. A Secretaria Estadual de Saúde anunciou em 25 de março que pediria antecipação.

“Ao chegar em Brasília na segunda-feira (20), vou procurar o ministro da Saúde, Arthur Chioro, e pedir a ele as explicações e ponderações que devem ser levadas em conta para que a população possa ser beneficiada das providências que precisam ser tomadas,” disse.

20 de Maio de 2014
por esmael
15 Comentários

Dengue se alastra em Londrina. Culpa dos governos Kireeff e Richa que não investem em saúde ou do povo?

via Jornal de Londrina

Com aumento de 64% nos casos confirmados de dengue em apenas uma semana, a situação de Londrina em relação à  doença é bastante preocupante, segundo a chefe da Vigilância Epidemiológica da 17!ª Regional de Saúde (RS), Ana Paula Guimarães dos Santos. Entre 8 e 15 de maio, os casos da doença saltaram de 452 para 741. Somado a esse crescimento, ainda há uma estimativa de pelo menos mais mil casos da doença não registrados. Com isso, os casos confirmados passariam para 1.741, o que indicaria uma situação epidêmica.

Para minimizar os impactos de uma epidemia, o prefeito Alexandre Kireeff assinou ontem decreto estabelecendo estado de emergência na Saúde e alerta epidemiológico. Hoje, ele deve assinar outro decreto, elevando o valor da multa para quem tiver foco do mosquito em seu imóvel. O prefeito não adiantou de quanto será esse aumento.! 

A declaração de emergência na Saúde e o alerta epidemiológico visam dar autonomia para a secretaria de Saúde nas ações emergenciais a serem realizadas entre os dias 22 e 27 de maio. Estou dando amparo jurídico para que entrem nos imóveis mesmo sob recusa do morador, para aquisição de suprimentos emergencialmente, para flexibilização de funções de servidores da Saúde para que atuem nos mutirões, entre outras ações necessárias!, disse Kireeff.

Entre esta quinta-feira e a próxima terça-feira, a meta, diz o prefeito, é ter mil pessoas atuando nos mutirões de limpeza e na aplicação de inseticidas com os carros de fumacê. Vamos ampliar radicalmente estes mutirões.! Kireeff deve detalhar hoje o conteúdo dos decretos e as ações a serem desenvolvidas. Os indicadores apontam para uma epidemia e estas ações são para minimizar os seus impactos.!

Ana Paula Santos afirma que os números atuais de casos confirmados são apenas a ponta do iceberg!. Temos 1,5 mil pessoas notificadas que não voltaram após os seis dias estipulados para coleta de material para confirmação da doença!, diz. !Em Londrina, em média 70% das notificações são confirmadas. O que indica que destas 1,5 mil notificações, mil seriam confirmadas, colocando Londrina em uma situação epidêmica.!

A gerente da Vigilância Epidemiológica do Município, Sandra Caldeira de Melo, afirma que neste ano a situação é mais preocupante do que no ano passado – q