Requião, Pessuti e Romanelli querem a presidência do PMDB

Romanelli, Requião e Pessuti disputam a presidência do PMDB do Paraná.
O diretório estadual do PMDB realizará no próximo dia 15 de dezembro convenção para definir sua próxima direção. Três nomes disputam a presidência da agremiação. Apenas um sentará na poltrona. No confronto direto estão o senador Roberto Requião, o ex-governador Orlando Pessuti e o deputado Luiz Cláudio Romanelli, na cota do governador Beto Richa (PSDB).

Cerca de mil convencionais deverão escolher o novo presidente do PMDB do Paraná, que hoje é presidido pelo deputado Waldyr Pugliesi.

A movimentação é intensa no partido. Amanhã, por exemplo, Pessuti se encontrará com a bancada estadual na Assembleia Legislativa. à‰ difícil um entendimento, pois os deputados têm compromisso com o governo tucano e o ex-governador Pessuti tem relações muito próximas com a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), pré-candidata ao Palácio Iguaçu.

Requião pretende suceder Richa. Pessuti quer uma vaga ao Senado. Romanelli sonha manter o PMDB na base de sustentação do governo do PSDB. Eis o resumo do embate que se avizinha.

Sondagens extraoficiais dão conta que os convencionais peemedebistas têm repulsa ao entendimento do partido, via bancada estadual, com o governo Richa. Eles [convencionais] nutrem o desejo e a perspectiva de voltarem a governar o Paraná pelas mãos de Requião.

Requião fala em trazer de voltar à  agremiação o senador Alvaro Dias, hoje no PSDB, para disputar o Senado ou mesmo o governo do estado.

Romanelli, pró-Beto Richa, acha que Alvaro tem que permanecer no PSDB. “O lugar do àlvaro Dias é no PSDB. No PMDB já temos encrenca demais!, diz o deputado atucanado.

O problema é que o PSDB do Paraná não quer dar legenda para Alvaro concorrer à  reeleição. Os tucanos paranaenses ensaiam lançar o presidente da Assembleia, deputado Valdir Rossoni, para o Senado em 2014, ou seja, fecham as portas e as janelas para o líder do partido do Senado.

Veja também  CPI da Covid 'quebra geral' sigilos de bolsonaristas e do gabinete paralelo; veja quem caiu

Requião, por sua vez, diz que a disputa no diretório do PMDB é contra Beto Richa, que, segundo ele, cooptou Romanelli e a maioria da bancada estadual. Eles são vítimas de cooptação do governo do PSDB!, fuzila o senador peemedebista, ao se referir aos correligionários da Assembleia.

Dos 54 deputados no legislativo estadual, o PMDB tem 13 parlamentares — a maior bancada.

Comments are closed.