Requião é contra a PEC 300 que unifica salário das polícias; ouça

Google News

* A capacidade econômica dos Estados é diversa”, diz senador

Senador Roberto Requião.
O senador Roberto Requião (PMDB/PR) comentou nesta segunda-feira (13) a crise das Polícias Militar e Civil no país. Segundo ele, em alguns Estados brasileiros, os salários são muito baixos. Mas, para ele, a unificação da remuneração não está entre as alternativas viáveis.

Sou absolutamente contra a unificação das Polícias no Brasil. A Polícia Militar se envolve menos, ou quase nada, com a investigação. Isso faz com que ela mantenha sua rigidez. Já a Polícia Civil, que trabalha com investigação, acaba num envolvimento profundo com a criminalidade!, avaliou.

Este envolvimento, aliado a uma formação insuficiente, e muitas vezes a um salário baixo também, leva a um processo ininterrupto de possibilidade de corrupção!. Para Requião, é preciso exigir uma escolaridade alta para ingresso nos quadros das Polícias e manter a hierarquia e disciplina.

Além da diferença da atuação das Polícias Civil e Militar, Requião ressaltou que o Brasil é um estado federativo.

A capacidade econômica dos Estados é diversa. O Piauí não tem a possibilidade de pagar o mesmo salário que São Paulo. A PEC 300 levaria à  nacionalização das reivindicações, com a possibilidade da paralisação integral da polícia no Brasil!, alertou.

[audio:http://audio.robertorequiao.com.br/fala_req_13_02_12.mp3]
Veja também  Eleições 2020: Boulos e Erundina fazem assembleias populares virtuais para ouvir propostas para SP

Comments are closed.