Folha se assuta com cartilha do PT contra fake news e desinformações

A Folha ficou encabulada com a disposição do Partido dos Trabalhadores (PT) de intensificar sua luta contra as fake news, materializada com o lançamento no início de dezembro, de uma cartilha abrangente para combater a disseminação de notícias falsas nas redes sociais, disseminação de desinformações e aplicativos de mensagens.

A iniciativa liderada pela presidente nacional do partido, deputada Gleisi Hoffmann (PR), arrepia a Folha, que destaca a importância estratégica dada ao PT ao combate das fake news durante o ano eleitoral de 2024.

A presidente Gleisi Hoffmann, em um vídeo divulgado na última quinta-feira (21/12), conclama fervorosamente a militância do partido a se engajar ativamente no enfrentamento às fake news.

Em suas palavras, ela alerta para a persistência da “máquina de mentiras” operada pela extrema direita.

Nesse contexto, a cartilha apresenta diretrizes claras e práticas, buscando capacitar os dirigentes partidários, especialmente em cidades de menor porte.

Economia

Um dos pontos-chave da cartilha é a recomendação para a criação de centrais municipais de denúncias.

Esta estratégia visa fortalecer a coleta de informações sobre notícias falsas, disponibilizando um número de WhatsApp exclusivo para esse propósito.

Essa abordagem descentralizada e localizada permite uma resposta mais ágil às tentativas de desinformação, mostrando a resolução do PT em combater a disseminação de conteúdo enganoso em nível comunitário.

[Texto continua após a foto…]

Fake News é um fetiche, que atinge negativamente a sociedade.
Fake News e desinformações viram alvos prioritários do Partido dos Trabalhadores nas eleições de 2024.

A cartilha adverte sobre a armadilha das manchetes bombásticas, orientando a não confiar cegamente em títulos chamativos que não têm respaldo no conteúdo da postagem.

“Sabe quando o título diz A e o texto diz B? Essa é aquela fake news sensacionalista. O problema é que, muitas vezes, as pessoas não vão além do título”, destaca o guia petista.

Leia também:

>>Estadão tenta puxar o tapete de Lula e Janja, e se dá mal com desinformação

Essa abordagem educativa busca empoderar o público para que avalie criticamente as informações que consome, promovendo uma cultura de checagem e discernimento.

Outra recomendação crucial da cartilha é a vigilância em relação a fotos manipuladas.

O exemplo citado ilustra uma imagem que falsamente inseriu Adélio Bispo, autor da facada em Jair Bolsonaro, em uma manifestação de apoiadores de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Essa orientação visa sensibilizar para os riscos das imagens adulteradas, reforçando a necessidade de verificar a autenticidade visual das notícias.

O PT, por meio dessa iniciativa, demonstra sua firme determinação em enfrentar as fake news, não apenas como uma ameaça política, mas como um desafio que compromete a integridade do processo democrático.

Ao capacitar seus membros e orientar a militância e dirigentes locais, o partido busca criar uma rede de resistência robusta contra a desinformação.

Este compromisso estratégico reforça a postura proativa do PT na defesa da verdade e da transparência, consolidando seu papel como protagonista na batalha contra as notícias falsas nas eleições de 2024.

Portanto, é natural que a velha mídia golpista se arrepie com a cartilha petista contra as fake news e as desinformações disseminadas em período eleitoral.

Aliás, os jornalões são os maiores disseminadores de desinformação e notícias falsas em eleições.