Fala, Moro

O ex-juiz Sergio Moro (União), desde Curitiba, dará coletiva de imprensa na terça-feira (14/06).

Ele anunciará seu futuro político às 11h, em ponto.

Ao lado de lideranças do União Brasil, Moro falará pela primeira vez após ser defenestrado pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), que o impediu de transferir o domicílio eleitoral.

Em busca frenética por um foro privilegiado, Sergio Moro divide-se entre concorrer ao Senado – contra a reeleição de Alvaro Dias (PODE) – e à Câmara, contra o ex-procurador Deltan Dallagnol (PODE).

O domicílio eleitoral de Moro está em Curitiba, tinindo, o que deixa há uma semana Deltan e Alvaro sem dormir.

Se Moro disputar a Câmara, dificultaria a eleição de Deltan.

Se o ex-juiz tentar o Senado, inviabilizaria Alvaro.

Na semana passada, a mulher do ex-juiz da Lava Jato, a advogada Janja Moro, disse que Alvaro não largava o osso – indicando que o marido pode mesmo concorrer ao Senado pelo Paraná.

Dificilmente Sergio Moro buscaria a vice de Ratinho Junior (PSD) como se ventilou, por exemplo, porque cargos no executivo têm foro limitado ao tempo do exerício dos mesmos.

Moro e Deltan, depois das diabribes na Lava Jato, buscam o manto parlamentar para se blindarem dos que não lhe amam. A fila é grande…

O foro por prerrogativa de função se aplica às hipóteses de crimes praticados no exercício da função ou em razão dela.

Moro nega que esteja atrás de um foro privilegiado.

– Foro privilegiado é blindagem pra bandido – disse o ex-juiz em março, quando ainda surfava como pré-candidato a presidente da República.

Veja também  Ricardo Barros presidente da Câmara