Palmeiras não quer retorno do atleta de maior investimento da história do clube

Miguel Borja, está emprestado ao Junior Barranquilla até dezembro deste ano, mas em busca de uma nova equipe para a próxima temporada.

O Palmeiras, para se livrar logo do ex-atacante do clube, mudou até cláusulas contratuais com o objetivo de conseguir vender o atacante a médio prazo.

Até prejuízo o Verdão está aceitando na transação para viabilizar uma futura negociação do jogador.

Na maior contratação da história do clube, o Palmeiras, em 2017, desembolsou 35 milhões de reais, com a ajuda da Crefisa, para comprar o atacante que na época era do Atlético Nacional.

Agora, para liberar o colombiano, o Verdão aceita até propostas inferiores a fim de recuperar parte do dinheiro gasto com o atleta.

Vale lembrar que Miguel Borja tem contrato com o clube paulista até fim de 2021. Caso não seja vendido na janela de transferências de janeiro do próximo ano, o atacante renova automaticamente com o clube alviverde até dezembro de 2022.

Borja é oferecido ao Internacional

De acordo a “ESPN”, Juan Pablo Pachon, empresário do centroavante, entrou em contato com a diretoria do clube gaúcho nesta quarta-feira em busca de um empréstimo.

Porém, em contato por telefone com Rodrigo Caetano, diretor de futebol do Inter, a possibilidade foi completamente descartada:

“Não tem o menor cabimento isso. É um atleta caríssimo. Estamos juntando tudo o que temos aqui para honrar nossos compromissos. Absurdo completo se levantar essa questão. Chance zero”.

O fato é que Borja já tem destino certo no Palmeiras: bem longe do clube.

Compartilhe agora