Oposição entra em obstrução na Câmara pelo auxílio de R$ 600

Os partidos de oposição anunciaram nesta terça-feira (6), em entrevista coletiva, que vão obstruir a pauta da Câmara até a votação da Medida Provisória 1000/20, que prorrogou o auxílio emergencial até dezembro no valor de R$ 300 mensais.

A intenção dos governistas era deixar a MP caducar, pois assim não precisariam arcar com o desgaste de aprovar o corte de metade do benefício. Mas a oposição resolveu obstruir para forçar a votação.

Como resultado, a sessão de hoje caiu e foi cancelada:

O líder da Minoria, José Guimarães (PT-CE), acusou o governo de trabalhar contra a votação da MP para evitar a aprovação de emendas que mantivessem o valor do auxílio em R$ 600. “O governo faz de tudo para deixar a MP caducar porque já está com seus efeitos produzidos. O governo comete irresponsabilidade com o Congresso”, reclamou.

A líder do PCdoB, Perpétua Almeida (AC), lembrou que muitos dos 67 milhões de beneficiários do auxílio emergencial estão fora do Cadastro Único. “Depois de 1º de janeiro, nem o Bolsa Família vão receber”, alertou. “De fevereiro para cá, foram 12 milhões de trabalhadores desempregados. A tendência é piorar em 2021.”

Já a representante da Rede, Joenia Wapichana (RR), observou que o auxílio emergencial é necessário não apenas para desempregados, mas também para trabalhadores rurais, quilombolas e indígenas.

Com informações da Agência Câmara de Notícias.

Compartilhe agora