Logo do PCdoB, com foice e martelo, desaparece das campanhas de prefeito

O PCdoB completou 98 anos em março deste ano eliminando a logo, com a foice e o martelo, que é o tradicional símbolo do partido, durante a campanha às prefeituras. Há as exceções, é claro.

A tradicional logo do PCdoB representando a união dos trabalhadores urbanos e do campo, durante a campanha eleitoral deste ano, foi substituída por propagandas com as cores verde e amarela –em regra.

O debate sobre a eliminação da foice e o martelo é antigo no PCdoB, mas acabou congelado no início deste ano de 2020.

Se a logo do PCdoB sumiu das campanhas onde a legenda disputa a majoritária, o vermelho também deixou de ser a cor predominante para dar lugar ao verde e amarelo. A foice e o martelo cederam o lugar para um garrafal “65”, o número do partido nas urnas.

Há uma discussão filosófica, de fundo, sobre a mudança do modelo de produção –completamente diferente da época que Karl Marx escreveu “O Capital” em parceria com Friedrich Engels.

O PCdoB tem razão em debater e compreender melhor essas mudanças em curso, sobretudo face ao movimento disruptivo em curso tornam certas ferramentas obsoletas. Tomemos como exemplo o panfleto de papel, o jornalzinho, o santinho de candidato, que deixaram de existir com avanço da internet.

Mais grave ainda: o trabalho remoto a partir do home office, que transforma a mão de obra e eleva a taxa de mais valia capitalista. Ou seja, maximiza o lucro em detrimento da qualidade de vida dos trabalhadores.

PCdoB é cabeça de chapa em 12 capitais. Confira:

  • Belo Horizonte (MG);
  • Curitiba (PR);
  • Fortaleza (CE);
  • Maceió (AL);
  • Manaus (AM);
  • Natal (RN);
  • Porto Alegre (RS);
  • Porto Velho (RO);
  • São Luís (MA);
  • São Paulo (SP);
  • Salvador (BA); e
  • Vitória (ES).

Por amostragem, o Blog do Esmael buscou três campanhas para observar a logo do PCdoB: Orlando Silva, em São Paulo; Rubens Junior, em São Luís; e Manuela D’ávila em Porto Alegre. Somente a campanha do ex-presidente da UNE, Orlando Silva, mostra discretamente a foice e o martelo.

Já as campanhas de Manu e de Rubens tiraram o símbolo do partido durante a eleição, embora o candidato maranhense tenha adotado a cor vermelha para sua jornada rumo à prefeitura ludovicense.

LEIA MAIS SOBRE O PCdoB

Bolsonaro “comunista” vira principal ‘cabo eleitoral’ do PCdoB em Londrina (PR)

Veja essa: Mudos [isto mesmo, mudos!] discursam em convenção do PCdoB

Site do PCdoB, o “Comuns”, elimina a foice e o martelo com vista à eleição de 2020

Movimento 65, nome fantasia do PCdoB, aposta em sangue novo na eleição 2020

Movimento 65, ‘novo rosto’ do PCdoB, lança manifesto e logomarca

Compartilhe agora