Felipe Neto enerva militância do PT e grita ‘aiaiai, me bateram’, segundo petistas

Compartilhe agora

O youtuber Felipe Neto conseguiu enervar, irritar a militância petista após publicar “análise” de pesquisas e propor uma “frente ampla” para 2020 sem o PT na cabeça de chapa.

“O Felipe Neto é o Olavo Carvalho dos Cirominions!”, reagiu o internauta petista Ivan Santos, comparando o youtuber ao guru bolsominion Olavo de Carvalho.

Felipe Neto é ligado ao ex-governador Ciro Gomes (PDT) e torce para que o pedetista seja o líder da tal frente ampla em 2022.

Mas por que Felipe Neto irritou tanto a militância do PT? Porque o youtuber disse que o partido não tem votos e que, de 26 capitais, só tem chances em eleger em uma, Fortaleza (CE), onde teria o apoio de Ciro e Cid Gomes.

Para Roberta Luchsinger, realmente o problema de Felipe Neto com o PT é maior que ele. Infelizmente ele é da turma “a culpa é do PT”. “Um bobo coitado.”

O youtuber cirista é considerado por uma parte da militância como um “Cavalo de Troia” cuja única missão é atacar o PT “por dentro”, haja vista que muitos petistas compartilham as mensagens de Felipe Neto.

“Fiz uma pesquisa usando o explorer do twitter e descobri que Felipe Neto usou 10 vezes a palavra “odeio” (fora as citações) 6 vezes contra o PT, uma vez contra o Lula e nenhuma contra Bolsonaro”, diz o militante com o perfil Cambara™.

Felipe Neto se defende dos petistas

Na defensiva, Felipe Neto se explicou nas redes sociais.

“Ontem (sábado, 3) fiz uma análise números, sem atacar o PT, apenas propondo debate. Dps divulguei uma candidata do PT mostrando q ela me ensinou mt. Mas a militância violenta acha q vai mudar td no grito. Aquela msm q chama um candidato de “12%”, ñ aguenta uma simples análise de pesquisas”, escreveu o youtuber.

O secretário nacional de Cultura do PT, Márcio Tavares, disse que Felipe Neto não tem estatura para aguentar um debate sério.

O dirigente petista observa que o youtuber ligado a Ciro diz que a militância não “aguenta” a análise dele das pesquisas.

“É muita arrogância pra quem pede educação do outro”, disse Tavares. “A análise dele [youtuber] é rasa e parcial e distorcida, pois pinçou os dados em que o PT vai pior”, criticou.

“Felipe ataca e depois sai gritando: aiaiai, me bateram. Que isso!”, concluiu o secretário nacional de Cultura do PT.

Gleisi desafia críticos do PT: “Na hora de contar votos a gente vê quem se isolou do povo”

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), negou neste domingo (4) que o partido tenha se isolado nas eleições de 2020. Pelo contrário, diz a dirigente, o partido abriu-se como uma flor.

Segundo Gleisi, quem acusa o PT de isolamento queria ver o partido acuado e com um papel secundário na política brasileira.

Para a presidenta nacional do PT, a agremiação que dirige fez mais alianças do que os adversários que queriam isolá-la.

“Como não ficamos [isolados] e fizemos mais alianças que os que queriam nos isolar, [a] mídia tortura as contas pra manter o mantra”, afirma.

Gleisi Hoffmann disse todos são livres, inclusive para acreditar na própria mentia ou nas fake news contadas pela mídia corporativa.

“Quem quiser que se aceite [as notícias falsa]”, discursa Gleisi. “Na hora de contar votos a gente vê quem se isolou do povo”, encerrou.

Na prática, Gleisi Hoffmann fez uma contestação à ideologia dos adversários –inclusive do campo oposicionista. A ideologia, caro leitor, nada mais é do que a falsa representação da verdade.

Gleisi entra na campanha em Curitiba

A presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, entrou oficialmente na campanha em Curitiba. Ela participou neste sábado (3), no bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC), do lançamento de Paulo Opuszka a prefeito e delegado Pedro Felipe a vice.

O CIC é um bairro popular e operário da capital paranaense, um dos berços do PT.

“Esse é nosso lado e nossa causa, nossa razão de existir e de lutar”, discursou Gleisi.

“Essa não é mais uma eleição municipal apenas, ela é diferente. Ela é uma mudança no ciclo político do Brasil. É a primeira eleição que disputaremos sob a égide da destruição do nosso país”, destacou Gleisi Hoffmann.

Paulo Opuszka, candidato do PT em Curitiba

O candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) à prefeitura de Curitiba, Paulo Opuszka, lançou a campanha a e o mote “Partiu fazer a Curitiba que cuida da gente”. Ele escolheu a CIC para o evento, que reuniu importantes nomes do PT no país e no estado.

No berço dos trabalhadores da capital, foram apresentados os candidatos a vereador e também as linhas da campanha do PT:

  • defesa da periferia, das minorias e a luta contra os problemas enfrentados nessas localidades e por essas populações;
  • valorização dos servidores públicos;
  • construção de oportunidades de geração de emprego e renda;
  • defesa do legado do partido e a retomada de um projeto de cidade que seja de fato inclusiva.

PT publica vídeo em defesa da família, da renda e do emprego; confira

A presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, publicou em suas redes sociais a nova campanha do partido em defesa da família.

“Quem defende a família é o PT!”, diz a dirigente petista, sem titubear.

Segundo Gleisi, que é deputada federal pelo Paraná, a prova de que é o PT quem defende a família seria a criação dos programas Bolsa Família e Minha Casa Minha vida.

A petista lembra ainda que a agremiação fortaleceu a agricultura familiar e gerou renda para milhões de famílias.

“O PT é quem defende a família”, insiste Gleisi Hoffmann.

A peça publicitária petista destaca o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Viva e a agricultura familiar. O garoto-propaganda é o ex-presidente Lula, que fecha com a frase: “na hora do vamos ver, quem defende você é o PT.”

Confira ao vídeo institucional do PT: