Em São Paulo, ‘guerra de posições’ marcou primeiro debate na Band

Compartilhe agora

O primeiro debate promovido pela Band entre os candidatos que disputam a prefeitura de São Paulo foi marcado por uma guerra de posições. Não houve um derrotado de forma categórica ou mesmo um vitorioso nesta noite de quinta-feira (1º).

Os 11 postulantes – Andrea Matarazzo (PSD), Arthur do Val (Patriota), Bruno Covas (PSDB), Celso Russomano (Republicanos), Filipe Sabará (Novo), Guilherme Boulos (PSOL), Jilmar Tatto (PT), Joice Hasselmann (PSL), Márcio França (PSB), Marina Helou (Rede) e Orlando Silva (PCdoB) – concentraram os esforços em apresentar propostas e de forma secundária provocar os adversários. Nesse particular, Joice e Arthur do Val foram os mais agressivos.

Alvos e posições de cada um dos candidatos e candidatas

– Bruno Covas mirou principalmente em Celso Russomano, que foi o candidato mais atacado durante o debate. Não teve nenhum arranhão sério nesse primeiro debate.

– Celso Russomano procurou o tempo todo reforçar a ligação com o presidente Jair Bolsonaro e manteve uma postura de apresentar as propostas mais populistas como a “Bolsa Bebê” e um “auxílio emergencial paulistano”.

– Márcio França teve um bom desempenho em suas respostas e passou uma imagem propositiva. Cutucou Bruno Covas na questão dos transportes.

– Guilherme Boulos concentrou a sua participação no debate de olho no voto da periferia e lembrou a gestão da ex-prefeita Luiza Erundina, sua companheira de chapa.

– Joice Hasselmann foi um pouco mais agressiva e mirou em diversos alvos: Bruno Covas, Márcio França e Orlando Silva. Também se apresentou como candidata da Lava Jato e das bandeiras da direita.

– Jilmar Tatto (PT) procurou capitalizar as gestões petistas em São Paulo na área do transporte e mobilidade urbana: O bilhete único, corredores exclusivos de ônibus, ciclovias e também a alimentação escolar de qualidade quando foi secretário de Abastecimento na capital.

– Arthur do Val ‘Mamãe Falei” disparou contra Bruno Covas e os políticos em geral. Tentou se apresentar como um antipolítico. Explorou a “pegada” de que é contra todos esses candidatos “aí”.

– Orlando Silva, único negro presente no debate, levantou a questão do racismo, a defesa do emprego e dos serviços públicos.

– Andrea Matarazzo fez uma espécie de dobradinha com Márcio França para bater em Bruno Covas, alvo de seus ataques. Atacou os gastos na fonte luminosa do Anhangabaú, uma obra da gestão Covas.

– Filipe Sabará defendeu a parceria da prefeitura com a iniciativa privada e fez uma profissão de fé nas virtudes do liberalismo.

– Marina Helou apresentou ideias e propostas no terreno ambiental e a da mobilidade urbana. Não fez críticas ao prefeito Bruno Covas.

Portanto, caro leitor e futuro eleitor, é preciso pesquisar e acompanhar mais a trajetória e as posições dos candidatos durante o processo eleitoral. Neste primeiro debate, os candidatos buscaram evitar maiores confrontos.

Veja a íntegra do debate em São Paulo: