Efeito Bolsonaro: Prévia da inflação de outubro tem a maior alta desde 1995

Compartilhe agora

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial do país, teve alta de 0,94% neste mês. Esta é a maior taxa para um mês de outubro desde 1995, quando havia ficado em 1,34%. A taxa também é superior à de setembro deste ano (0,45%).

Com o resultado, o IPCA-15 acumula taxas de inflação de 2,31% no ano e 3,52% em 12 meses. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O grupo de despesas que mais influenciou a prévia da inflação em outubro foi alimentação e bebidas, que registrou alta de preços de 2,24%. Entre os produtos que apresentaram inflação no período: carnes (4,83%), óleo de soja (22,34%), arroz (18,48%), tomate (14,25%) e leite longa vida (4,26%).

LEIA TAMBÉM:

Boff declara apoio a Boulos e Erundina em SP

Datena e João Doria batem boca em entrevista; assista

Em Porto Alegre, Manuela lidera com 24,9%, Fortunati tem 14,2% e Melo 10,5%

Os transportes, com taxa de 1,34%, também tiveram grande impacto na inflação, devido à alta de preços de itens como passagens aéreas (39,90%), gasolina (0,85%) e seguro voluntário de veículos (2,46%).

Também tiveram altas de preços os artigos de residência (1,41%), vestuário (0,84%), habitação (0,40%), saúde e cuidados pessoais (0,28%), comunicação (0,23%) e despesas pessoais (0,14%).

Portanto, com a política econômica de Bolsonaro e Paulo Guedes volta o dragão da inflação para infernizar a vida dos brasileiros, além do desemprego e da guerra da vacina patrocinada pelo atual (des)governo.

*Com informações da Agência Brasil