Suplicy manda livro clássico sobre socialismo de presente para Bolsonaro

O vereador e ex-senador Eduardo Suplicy (PT-SP) enviou de presente ao presidente Bolsonaro o livro “Utopia”, de Thomas More. A obra é considerada por muitos como fundadora do socialismo como um ideal de sociedade.

More cunhou o termo “utopia” a partir do grego, e a palavra basicamente significa “um lugar que não existe”.

Suplicy explicou seu presente pelo Twitter:

“Enviei ao Presidente Jair Bolsonaro o livro “Utopia”, de Thomas More, com a sugestão que ele leia no período de convalescênça, com a seguinte dedicatória:

‘Ao Presidente Jair Bolsonaro, desejo-lhe pronta recuperação e que possa aproveitar esse período em que precisa se restabelecer com a leitura desse importante livro de Thomas More, onde, na página 29 do Livro I, ele mostra a reflexão do viajante português Rafael Hitlodeu em que, ao comentar que a pena de morte não havia colaborado para diminuir a criminalidade violenta, afirma que muito melhor será garantir a sobrevivência das pessoas para que ninguém se sinta com a necessidade de primeiro roubar para daí ser transformado em cadáver.

Com base nas reflexões do personagem Rafael Hitlodeu, de Thomas More, seu amigo, Juan Luis Vives escreveu em 1526 “De Subventione Pauperum”, ao Prefeito da cidade de Bruges, onde, pela primeira vez, propõe uma renda mínima garantida a seus habitantes.

Por essa razão, Thomas More é considerado um dos pensadores que melhor fundamentou a Renda Básica de Cidadania. Muito melhor do que distribuir armas será assegurar a Renda Básica de Cidadania para todas as pessoas. EMS (Eduardo Matarazzo Suplicy)'”

O senador Randolfe Rodrigues elogiou a iniciativa de Suplicy:

“Meu Querido @esuplicy Sempre brilhante! “Muito melhor do que distribuir armas será assegurar a Renda Básica de Cidadania”. Que esse mandamento inspire do Presidente da República aos Prefeitos, dos Senadores aos Vereadores.”

A palavra “utopia” se tornou um símbolo daqueles que lutar por um mundo melhor e sem injustiças sociais. Um verdadeiro sonho socialista.

Infelizmente, pensar que Bolsonaro vai ler os escritos de 500 anos atrás, compreender e tirar alguma lição disso, parece ser também uma utopia. Mas sonhar não custa nada, não é Suplicy?

LEIA TAMBÉM

Novo ministro vai retomar a palmatória na educação brasileira?

O novo ministro da Educação de Bolsonaro, Pastor Milton Ribeiro, nem bem foi nomeado e já enfrenta fortes críticas no meio político e da educação nacional.

O motivo são suas ideias obscurantistas acerca dos métodos educacionais. Um vídeo circula na internet com uma fala do Pastor defendendo castigos físicos como incentivo ao aprendizado das crianças. Seria a volta da palmatória nas salas de aula?

O internauta Raphael Heide compartilhou o vídeo com a fala de Ribeiro e comentou:

“Novo Ministro da Educação, o professor e pastor Milton Ribeiro, mostra como “educar” uma criança num vídeo chamado A Vara da Disciplina.”

Para quem não sabe, a palmatória era um instrumento feito para os professores baterem na mão das crianças no caso de indisciplina… Daí vem a expressão, “dar a mão a palmatória”, que significa reconhecer que está errado. Essa é uma palmatória, hoje peça de museu:

A deputada Talíria Petrone (PSOL) escreveu:

“Bolsonaro nomeou hoje o pastor presbiteriano Milton Ribeiro como ministro da Educação. Nenhuma surpresa: mais obscurantismo, negacionismo da ciência e austeridade nos investimentos. Novamente reafirmamos que só a luta muda a vida!”

Orlando Guerreiro compartilhou uma frase do Pastor Ministro:

“Não estou aqui dando uma aula de espancamento infantil, mas a vara da disciplina não pode ser afastada da nossa casa”. Milton Ribeiro ( Ministro da educação do patético governo Bozo)

E o jornalista Ricardo Noblat também compartilhou uma frase do Pastor:

“Deve haver rigor, severidade. E vou dar um passo a mais, e talvez algumas mães fiquem com raiva de mim, desculpem: deve sentir dor.” (Milton Ribeiro, pastor evangélico, o novo ministro da Educação, sobre como educar a maioria das crianças)

Até agora, só quem gostou da nomeação foram os donos e mantenedoras de Universidades e Escolas particulares. Ribeiro é vice-reitor de uma Universidade Privada.

Com esse tipo de mentalidade, só podemos temer pelo futuro das crianças do Brasil.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro nomeou o Pastor Milton Ribeiro para o ministério da Educação

O presidente Bolsonaro comunicou pelo Facebook que nomeou o Pastor Milton Ribeiro para o ministério da Educação.

Bolsonaro escreveu:

– Indiquei o Professor Milton Ribeiro para ser o titular do Ministério da Educação.
– Doutor em Educação pela USP, mestre em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e graduado em Direito e Teologia.
– Desde maio de 2019, é membro da Comissão de Ética da Presidência da República.”

Ele é advogado e membro da Comissão de Ética Pública da Presidência. Milton Ribeiro já aceitou o convite e vai assumir o cargo nessa tão maltratada área do governo.

Ribeiro é doutor em educação da USP (Universidade de São Paulo), mestre em direito constitucional pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e especialista em Administração Acadêmica pelo CRUB (Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras) com estágio em Joplin, Universidade do Estado de Kansas.

Ribeiro é pastor e atua no Conselho Deliberativo no Instituto Presbiteriano Mackenzie. É ex-reitor em exercício e ex-vice-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Com informações do R7.