Rogério Correia sobre Augusto Aras: ‘Sorrabador-geral da República’

O deputado Rogério Correia (PT-MG) manifestou nesta quarta-feira (27), na sessão virtual da Câmara, preocupação com as ações do procurador-geral da República, Augusto Aras. “Eu não estou só preocupado, eu estou abismado. Ele (Aras) pediu para se interromper o inquérito de fake news no Supremo Tribunal Federal. E ele faz isso porque quer deixar livre o ‘gabinete do ódio’ que é composto inclusive pelo filho do presidente Bolsonaro, o Carlos Bolsonaro, que também está sendo investigado juntamente com parlamentares e empresários que vivem ofendendo a moral dos outros sem nenhum tipo de prova, se utilizam de fake news”, criticou.

Rogério Correia lembrou que o Brasil, em outros tempos já teve na Procuradoria-Geral da República Geraldo Brindeiro, que era conhecido como o “engavetador-geral da República”, por arquivar investigações que atingiam o governo e seus aliados. “Agora, infelizmente, nós temos um ‘sorrabador-geral da República’, aquele que só executa o que o presidente manda”, acusou.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro congela salários de servidores públicos até o fim de 2021

Aras pede que Fachin suspenda o inquérito das fake news

Aras é PGR ou advogado bolsonarista?

O deputado explicou que o ‘sorrabador-geral da República’ age como se fosse juiz num jogo de futebol, e quisesse agora deixar os adversários chutarem canela e fazerem gol de mão. “Por isso, ele deixa livre aqueles que produzem fake news e que estão, muitas vezes, ao lado do próprio presidente da República”, reforçou.

Augusto Aras encaminhou nesta quarta-feira pedido ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), para que suspenda o inquérito da fake news, que apura ofensas, ataques e ameaças contra ministros da corte e que resultou nesta manhã numa operação da Polícia Federal, autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes contra empresários, políticos e ativistas bolsonaristas.

Ação contra governadores
Rogério Correia também manifestou preocupação com outra “notícia terrível e estranha” de que a PGR está com um inquérito contra oito governadores. “Ao invés de agir como Ministério Público, a PGR está se organizando para perseguir adversários do presidente da República. Não que não se pode haver as denúncias. Mas existem as instâncias corretas para fazê-las. E ele (Aras) está entregando isso ao Superior Tribunal de Justiça. Ele está armando uma espécie de polícia política e de justiça política. Isso é muito grave”, afirmou.

O parlamentar do PT mineiro citou um discurso feito pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendendo a unidade do Brasil, pedindo sensatez. “Infelizmente esse apelo não surte efeito com esse tipo de governo que o presidente Bolsonaro faz para o Brasil. Nós estamos enterrando 400 mil pessoas infectadas pelo coronavírus, quase 25 mil mortos, e ele (Bolsonaro) fala que não está nem aí. Continua sem enviar os recursos para os governos e para as prefeituras. Continua boicotando os R$ 600 para o nosso povo mais vulnerável”, criticou.

Para Rogério Correia o Brasil está num caminho muito difícil. “E não tem como nós sermos coniventes com esses que atacam ao processo democrático brasileiro”, conclui.

As informações são do PT na Câmara.