Nasce a V Internacional, a ‘Progressista’, para combater a desigualdade no mundo

Um grupo de intelectuais, políticos e artistas, entre os quais se incluem Bernie Sanders, Noam Chomsky, Naomi Klein, Yanis Varoufakis, Gael Garcia Bernal, Fernando Haddad e Katrín Jakobsdóttir (primeiro-ministra islandesa-foto), fundaram nesta segunda-feira (11) uma nova organização mundial que tem como eixos a defesa da democracia, da solidariedade, da igualdade e da sustentabilidade.

A base orgânica da nova organização internacional, a “Internacional Progressista”, é composta pelo Instituto Sanders, DIEM25, partidos europeus, movimentos sociais ecológicos e feministas. A iniciativa visa promover a união, coordenação e mobilização de ativistas, associações, sindicatos, movimentos sociais e partidos em defesa da democracia, da solidariedade, da igualdade e da sustentabilidade.

A formação de uma nova organização política internacional nos remete para iniciativas anteriores como a formação da Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT), conhecida como I Internacional, por Karl Marx em 1864, a II Internacional de 1889 (socialista ou operária) formada por Friedrich Engels e capitaneada pelo Partido Social-Democrata Alemão, a III Internacional (Comunista), fundada por Lenin, em 1919, após a Revolução Bolchevique de 1917 na Rússia, e a IV Internacional (trotsquista) fundada em 1938, nos arredores de Paris, pelo revolucionário russo Leon Trotsky, exilado após ser expulso por Stálin da então União Soviética.

Esta nova “Internacional” foi anunciada antes da pandemia em setembro de 2018, em artigos do senador Bernie Sanders e do antigo ministro das Finanças grego,Yanis Varoufakis, no jornal The Guardian.

Os organizadores argumentam que a crise sanitária e econômica resultante da pandemia tornou mais urgente a iniciativa e revelou a necessidade de todos dos progressistas unirem esforços para defesa dos cuidados de saúde universais, da proteção dos direitos laborais e a cooperação internacional.

A nova organização terá um conselho com mais de 40 membros, incluindo Noam Chomsky e a canadiana Naomi Klein, políticos ativos como o parlamentar grego e antigo ministro das Finanças Yanis Varoufakis, a primeira-ministra islandesa, Katrín Jakobsdóttir, a ministra argentina das Mulheres, do Gênero e da Diversidade, Elizabeth Gómez Alcorta. A estes nomes juntam-se uma série de conhecidos políticos latino-americanos como o ex-presidente equatoriano Rafael Correa e o brasileiro Fernando Haddad, o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) nas eleições de 2018. Outros signatários conhecidos incluem o ex-ministro brasileiro Celso Amorim, o ex-vice-presidente boliviano, Alvaro Garcia Linera, o ator mexicano Gael Garcia Bernal, a escritora Arundhati Roy, o filósofo Srecko Horvat e a alemã Carola Rackete, capitão de navio e símbolo do resgate de migrantes no Mediterrâneo.

LEIA TAMBÉM:

PT diz que Bolsonaro arma nova farsa contra o partido e a democracia

O lançamento do website oficial da organização aconteceu nesta segunda-feira (12), onde qualquer pessoa ou organização pode inscrever-se para se tornar membro da “Internacional Progressista”.

A organização defende um mundo democrático, igualitário, solidário, ambiental, pacífico, pós-capitalista (economia da partilha e da cooperação), próspero e pluralista.

A plataforma terá um secretariado que será responsável pela organização das atividades diárias, pela assistência aos membros, pela ligação em rede das organizações e pela implementação de acções conjuntas de âmbito global.

Em setembro, se a pandemia o permitir, realizar-se-á um congresso na capital islandesa, Reykjavik, que será organizado pelo partido de Jakobsdóttir, o Movimento Esquerda-Verde.

*Com informações de agências internacionais/Portal Contacto – Portugal