São Paulo registra 211 mortes por covid-19 em um dia

O estado de São Paulo registrou, hoje (23), o recorde no número de mortes causadas pela covid-19 em 24 horas: 211, um salto de 414% em relação aos 41 óbitos computados ontem (22). O estado contabiliza, agora, 1.345 mortes por coronavírus.

LEIA TAMBÉM:
Trump e coronavírus produzem 26 milhões de desempregados nos Estados Unidos em cinco semanas

“É preciso começar o ‘fora, Bolsonaro’”, defende ex-presidente Lula

Alcolumbre prorroga CPMI das Fake News e bolsonaristas surtam nas redes sociais

De acordo com o governo, a alta expressiva no número é explicada por um atraso, por parte das prefeituras, no registro das mortes no sistema do Centro de Vigilância Sanitária durante o último feriado prolongado. As notificações atrasadas, segundo o governo, acabaram entrando no sistema nas últimas 24 horas, e elevaram expressivamente o número.

“É um momento que eu aproveito para colocar para os municípios a importância da agilidade na notificação dos casos identificados, dos casos confirmados, para que o sistema estadual possa ser alimentado e atualizado adequadamente e a gente não tenha nenhuma discrepância de números”, destacou o coordenador da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde, Paulo Rossi Menezes.

Mortes
De 1º de abril até hoje, o número de óbitos nas cidades do interior, litoral e demais municípios da Grande São Paulo cresceu 21 vezes, saltando de um acumulado de 20 mortes até 1º de abril, para 433 óbitos até hoje. Na capital, no mesmo período, a concentração dos óbitos, em relação ao resto do estado, caiu de 87% para 67%.

Segundo dados do governo estadual, 114 cidades paulistas já registraram ao menos uma morte causada pela covid-19. O estado registrou, até hoje, 16.740 casos confirmados da doença, distribuídos em 256 municípios.

Ocupação de UTIs
A taxa de ocupação dos leitos para atendimentos em UTI no estado de São Paulo, destinados para o tratamento da covid-19, está em 55,3%, segundo o governo do estado. Na Grande São Paulo, no entanto, a taxa é de 74%.

Brasil tem 407 mortes registradas em 24 horas por Coronavírus no dia 23/04
O Ministério da Saúde divulgou o balanço desta quinta-feira (23) da pandemia de Coronavírus no Brasil e os números são preocupantes.

Os principais dados são:

-3.313 mortes, com 407 óbitos registrados nas últimas 24 horas

-49.492 casos confirmados.

-1.172 mortes confirmadas nos últimos sete dias.

-São Paulo tem 16.740 casos e 1.345 mortes.

Também segundo os dados do Ministério da Saúde, 25,3mil pessoas conseguiram se recuperar da doença no Brasil.

Prefeitura abrirá 13 mil valas em cemitérios de São Paulo e aumentará capacidade para enterros
A prefeitura de São Paulo vai abrir 13 mil valas em cemitérios administrados pelo município e elevará em um terço a capacidade de realizar enterros em meio a pandemia de coronavírus, anunciou nesta quinta-feira o prefeito Bruno Covas (PSDB).

Ele disse que entre as ações, parte de um plano de contingência para o serviço funerário paulistano, também está a contratação de 8 câmaras refrigeradas para armazenar até mil cadáveres e o acréscimo de 36 novos carros funerários, mais que dobrando a frota atual de 32 veículos.

“O pior ainda está por vir”, disse Covas ao se referir à epidemia de Covid-19, doença respiratória provocada pelo novo coronavírus, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo, ao lado do governador João Doria (PSDB).

“A nossa preocupação é de estarmos preparados para organizar e minimizar a dor das famílias para que elas possam dar um sepultamento digno aos entes que vão ser perdidos. Por isso elaboramos um plano de contingência para que a gente possa ter um funcionamento adequado do serviço funerário aqui em São Paulo”, afirmou.

O prefeito disse que o município aumentará a capacidade de sepultamentos, atualmente em 240 enterros por dia, para 400, além de adquirir equipamentos de proteção individual para os agentes sepultadores da cidade e de flexibilizar o monopólio que a prefeitura detém sobre o serviço funerário.

“Estamos abrindo 13 mil novas valas, inclusive com apoio e utilização de quatro mini-retroescavadeiras, e se necessário vamos ter capacidade para poder trabalhar 24 horas por dia aqui na cidade de São Paulo”, disse.

“Amanhã publico um decreto flexibilizando o monopólio do serviço funerário na cidade de São Paulo para que todos os velórios e sepultamentos que acontecem nos cemitérios privados possam acontecer sem passar pelo serviço funerário da prefeitura”, acrescentou.

Covas também divulgou uma peça publicitária feita pela prefeitura que defende a necessidade da quarentena e do isolamento social para conter o avanço da doença, ao mostrar a situação a que chegou a cidade de Guayaquil, no Equador, onde o sistema funerário e de saúde entraram em colapso e cadáveres acabaram ficando pelas ruas.

Indagado se as medidas anunciadas nesta quinta apontam o número de mortos pelo Covid-19 que a prefeitura espera para a cidade de São Paulo, o prefeito respondeu: “A gente tem que estar preparado para os piores cenários.”

Com informações de agências.