PT vai pedir investigação dos crimes de Bolsonaro e Moro pelo STF

O Partido dos Trabalhadores (PT) irá ao Supremo Tribunal Federal (STF) requerer a investigação de crimes praticados por Sérgio Moro e Jair Bolsonaro por meio de Notícia de Crime. Os pedidos são todos baseados nas revelações feitas por Moro na entrevista em que anunciou sua saída do Ministério da Justiça nesta sexta-feira (24) e na resposta pública de Bolsonaro.

O primeiro pedido é para investigar as práticas criminosas de concussão e corrupção ativa e passiva, envolvendo a promessa de nomeação de Moro para uma vaga de ministro do STF, como recompensa por sua atuação como juiz para condenar e prender o ex-presidente Lula, possibilitando a eleição de Bolsonaro em 2018. O presidente da República afirmou que o ex-ministro teria exigido a nomeação também como condição para aceitar que o delegado Maurício Valeixo fosse demitido da direção-geral da PF.

O segundo pedido é para investigar possíveis crimes de concussão, por parte de Sergio Moro, e de corrupção ativa, por parte de Bolsonaro por terem negociado secretamente uma pensão por morte para a família do ex-ministro. O pagamento da vantagem exigida por Sérgio Moro é indevido por não ter previsão legal e foi confessada pelo ex-ministro em sua entrevista.

LEIA TAMBÉM:

Ciro Gomes sobre racha entre Bolsonaro e Moro: ‘O país ganha muito’

Moro rebate declaração Bolsonaro de ‘troca-troca’ pela cabeça de Valeixo

Panelaços e barulhaços em todo país durante pronunciamento de Bolsonaro nesta tarde

O terceiro pedido é para investigar o crime de falsidade ideológica que teria sido praticado na divulgação do primeiro decreto de exoneração de Valeixo com a assinatura de Moro. O ex-ministro negou ter assinado o decreto e, horas depois, o Diário Oficial da União circulou com novo decreto de demissão, desta vez sem assinatura do ex-ministro.

O quarto pedido, baseado na confissão de Sérgio Moro e Jair Bolsonaro, é referente ao episódio de exoneração do superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, promovido a pedido de Bolsonaro com o intuito de interferir da autonomia da polícia, configurando o crime de prevaricação de ambos.

*As informações são da Agência PT

Compartilhe agora