Colômbia se torna oficialmente o 37º país membro da OCDE

A Colômbia se tornou oficialmente o 37º membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) – e o terceiro país da América Latina e Caribe no grupo –, informou a instituição em comunicado divulgado na noite desta terça-feira (28). A organização, que reúne os países mais ricos do mundo, prepara agora a entrada da Costa Rica.

“A adesão da Colômbia é uma prova tangível do nosso compromisso de reunir países que se esforçam para alcançar os mais altos padrões globais de políticas públicas, de modo a melhorar o bem-estar e a qualidade de vida de seus cidadãos “, declarou o secretário geral da OCDE, Angel Gurría, em comunicado.

LEIA TAMBÉM:
‘Quer que eu faça o quê?’, diz Bolsonaro sobre nº de mortes no Brasil maior que na China

Bolsonaro ‘manda recado’ para Regina Duarte sobre possível demissão

Ataques de robôs bolsonaristas estão entre os maiores do mundo

O país havia dado início ao pedido de adesão em 2013. O convite formal dos demais membros seria feito cinco anos depois, em maio de 2018. A essa altura, a Colômbia já havia passado por um processo de revisão por 23 comitês da OCDE, e introduzido reformas em sua legislação, além de práticas para se adaptar aos padrões da organização.

“Dada sua história recente, a Colômbia pode se orgulhar do que pode realmente ser descrito como uma conquista excepcional”, acrescentou Gurría, referindo-se à violência que marcou a vida do país latino-americano desde os anos 50.

Costa Rica na reta final para adesão
Depois da Colômbia, “a Costa Rica entrou na fase final de seu processo de adesão à OCDE”, afirmou a instituição. Até agora, o México e o Chile eram os únicos dois países latino-americanos a ingressar na organização sediada em Paris.

Em janeiro, o governo de Donald Trump anunciou que iria priorizar o pleito brasileiro de ingresso na OCDE. O Brasil é um dos seis candidatos a iniciar o processo de entrada no organismo internacional, mas os Estados Unidos vinham defendendo a prioridade da Argentina e da Romênia.

As informações são da RFI