Número de mortos por coronavírus na Espanha supera total da China

Publicado em 25 março, 2020
Compartilhe agora!

Mulher usa máscara e luvas em cemitério de Madri, na Espanha. Foto: Baldesca Samper/AFP
A Espanha registrou um salto de 738 mortes por coronavírus nesta quarta-feira (25), superando o total de óbitos em decorrência da doença na China, onde se originou, enquanto o país luta para lidar com o número crescente de infecções.

Com 3.434 mortes, a Espanha agora tem o segundo maior número de mortes no mundo, depois dos 6.820 da Itália. Uma pista de patinação em Madri foi transformada em um necrotério improvisado, e dezenas de mortes estão sendo registradas em lares de idosos em todo o país.

LEIA TAMBÉM:
Governador de Goiás Ronaldo Caiado rompe com Bolsonaro; assista

Maia critica pronunciamento de Bolsonaro e pede que brasileiros sigam normas determinadas pelas autoridades de saúde

CUT chama de ‘genocida’ pronunciamento de Bolsonaro

Profissionais de saúde da Espanha, que respondem por milhares dos infectados, entraram com ações judiciais contra o governo, queixando-se da falta de equipamentos básicos de proteção, como máscaras, jalecos e luvas.

O Exército espanhol pediu à Otan ventiladores pulmonares, equipamentos de proteção e kits de teste, disse o chefe das Forças Armadas, Miguel Villarroya, nesta quarta-feira (25).

A Espanha está no 11º dia de um bloqueio nacional de 15 dias, que provavelmente será estendido para 30 dias. Escolas, bares, restaurantes e a maioria das lojas estão fechadas. Reuniões sociais são proibidas. As pessoas estão confinadas em suas casas.

“Alcançamos uma redução quase total no contato social”, disse o chefe de emergência em saúde, Fernando Simon, em entrevista coletiva, acrescentando que a Espanha estava chegando ao auge da epidemia.

O número de casos de coronavírus aumentou em um quinto, para 47.610, nesta quarta-feira (25).

Além do impacto devastador na saúde, o bloqueio foi um golpe punitivo para a economia espanhola, com dezenas de milhares de trabalhadores temporariamente afastados, à medida que setores como varejo, turismo e manufatura pararam.

Da Agência Brasil

Compartilhe agora!