Bolsonaro retira diplomatas da embaixada e consulados na Venezuela

Compartilhe agora


O Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou nesta quinta-feira (5) uma portaria no Diário Oficial da União (DOU) oficializando a retirada de 12 funcionários de sua embaixada em Caracas, capital da Venezuela, e dos consulados em Ciudad Guayana e Santa Elena do Uairén.

Com a retirada dos representantes do Ministério das Relações Exteriores, os brasileiros que vivem na Venezuela perderão acesso a serviços como emissão de passaporte, certidão de nascimento e de outros serviços de apoio.

O governo de extrema-direita do Brasil, a serviço do presidente dos Estados Unidos de Donald Trump, tem adotado uma política de provocação permanente contra o governo do país vizinho.

LEIA TAMBÉM:

Elizabeth Warren desiste de disputa Democrata à presidência

Vigília contra despejos rurais no Paraná recebe visita de deputados nesta sexta

Requião, aos 79 anos, reagrupa tropa para disputar a Prefeitura de Curitiba

O governo de Bolsonaro continua apoiando Juan Guaidó, autoproclamado presidente, que faz uma oposição ilegal e criminosa contra o governo constitucional da Venezuela, presidido por Nicolás Maduro.

Além disso, o Itamaraty não está renovando as credenciais dos representantes do governo de Nicolás Maduro em Brasília. Oficialmente, o governo Bolsonaro reconhece a representante de Juan Guaidó, Maria Tereza Belandria, como embaixadora da Venezuela.