‘Tic-tac, tic-tac’ no MEC para o aloprado Weintraub; por Milton Alves

Publicado em 28 janeiro, 2020


O articulista do Blog do Esmael, Milton Alves, analisa a situação insustentável de Abraham Weintraub no MEC e aponta a demissão como uma saída possível para reduzir os danos perpetrados pelo aloprado ministro na condução do Enem. “Em todo o país milhões de estudantes e suas famílias atravessam um período de incertezas e de forte insegurança sobre o futuro imediato. Projetos de vida e planos de formação no ensino superior estão em suspenso pelo “apagão” no MEC”, escreve Milton. Leia a seguir a íntegra do artigo.

Tic-tac, tic-tac’ no MEC para o aloprado Weintraub

Por Milton Alves*

A situação do ministro Abraham Weintraub tornou-se praticamente insustentável na direção do MEC. A sucessão de erros na condução do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e os vazamentos da lista do Sisu 2020 nesta terça-feira (28), com os resultados para algumas universidades federais alcançaram níveis de tensão jamais vistos no aparelho educacional do país.

Além disso, em todo o país milhões de estudantes e suas famílias atravessam um período de incertezas e de forte insegurança sobre o futuro imediato. Projetos de vida e planos de formação no ensino superior estão em suspenso pelo “apagão” no MEC, resultado direto de uma gestão caótica e extremamente incompetente.

A escolha de Abraham Weintraub, como a do seu antecessor Veléz Rodriguez, foi presidida apenas por critérios ideológicos. Sem experiência de gestão na área, sem peso curricular e trajetória pífia na academia, Weintraub foi alçado para uma máquina gigante e complexa, com milhares de técnicos do mais alto gabarito e dezenas de programas e sistemas consolidados.

A aventura olavista no MEC é desastrosa e criminosa até para os padrões de um governo autoritário e com pendor bonapartista. O único gesto possível diante do caos e do crime perpetrado por Weintraub é a demissão imediata.

LEIA TAMBÉM:

Caos no Enem: STJ libera divulgação no Sisu e inscrições no Prouni

Caótico e em ‘apagão’, MEC não confirma lista vazada do Sisu 2020

Frota ‘pede a cabeça’ de Weintraub para a PGR

O estrago é profundo para o futuro do Enem, um mecanismo universalizado e bem sucedido de acesso ao ensino superior público, que foi aperfeiçoado durante as gestões no MEC de Cristovão Buarque, Tarso Genro, Mercadante, Haddad, Cid Gomes e Renato Janine Ribeiro.

Weintraub, fora do MEC já! Punição para todos os responsáveis pelo desastre do Enem.

*Ativista político e social. Autor do livro ‘A Política Além da Notícia e a Guerra Declarada Contra Lula e o PT’