Irã: Multitudinárias manifestações pedem resposta ‘dura’ aos Estados Unidos


Milhões de pessoas se reuniram no Irã nesta sexta-feira (3) para protestar contra a morte do general Qassim Suleimani, após um ataque ao aeroporto de Bagdá, capital do Iraque, ordenado pelo presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

Os manifestantes entoaram gritos de “morte à América” e “morte à Israel”. As câmeras flagraram pessoas chorando pela morte do general, além de diversos cartazes com fotos de Suleimani. Os iranianos também queimaram bandeiras norte-americanas.

De acordo com a agência de notícias nacional IRNA, houve protestos em outras cidades do Irã, como Arak, Bojnourd, Hamedan, Hormozgan e Sanandaj, além da cidade natal de Suleimani, Kerman.

O general Suleimani era uma espécie de herói nacional iraniano e foi o estrategista responsável pela ofensiva contra o grupo terrorista Estado Islâmico (ISIS) na região.

LEIA TAMBÉM:

Preço do petróleo dispara após assassinato de general iraniano pelo EUA

EUA x Irã: conflito pode levar o mundo à 3ª Guerra Mundial?

Ao vivo: 3ª Guerra Mundial batendo à porta; e agora, Bolsonaro?

Foi decretado três dias de luto oficial. O presidente do país, Hassan Rouhani, também falou em vingança. Em um comunicado, ele disse ainda que a morte de Suleimani “redobra a determinação da nação iraniana e de outras nações livres da região de se opor à intimidação dos Estados Unidos e defender os valores islâmicos”, segundo informação do jornal Folha de São Paulo.

*Com informações da Folha de São Paulo