Agora a maldade de Bolsonaro e Weintraub é contra os deficientes no Sisu

Na sequência de erros do Exame Nacional do Ensino Médi), o Ministério Público Federal de Brasília apontou indícios de falhas na oferta de vagas destinadas a deficientes físicos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e pediu esclarecimentos ao ministro da Educação, Abraham Weintraub.

O MPF detectou os indícios de falhas depois de receber representações de estudantes e após uma análise preliminar de relatórios do Sisu com as ofertas de vagas.

“Expressivo número de cursos em todo o País tiveram vagas reservadas em número inferior ao percentual de sua população com deficiência aplicado ao número de vagas destinadas à reserva pela Lei nº 12.711 ou mesmo não tiveram nenhuma vaga reservada para esses candidatos”, diz despacho assinado pelo procurador Felipe Fritz Braga.

LEIA TAMBÉM
No Twitter, estudantes e pais reclamam de erros na lista de espera do Sisu

‘Tic-tac, tic-tac’ no MEC para o aloprado Weintraub; por Milton Alves

Um nova investigação foi aberta pela Procuradoria da República do Distrito Federal, diante da suspeita que se soma aos problemas apontados nos últimos dias no Sisu e pode provocar novos impactos no preenchimento de vagas nas universidades.

As informações são do Brasil 247.