Bancada do PT repudia medida de Bolsonaro que fere autonomia das universidades

Em protestos contra cortes na educação, manifestantes pedem a saída de Bolsonaro

A bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara dos Deputados divulgou nota em que repudia a Medida Provisória 914/19 que restringe a autonomia das universidades e institutos federais.

A MP 914/19 interfere de forma autoritária na democracia interna das instituições públicas de ensino, especialmente no processo de escolha dos reitores e demais dirigentes dessas instituições, diz a nota do partido.

Os deputados petistas questionam também a urgência da medida neste período de recesso de fim de ano.

Leia a nota na íntegra:

Bancada do PT repudia medida de Bolsonaro que fere autonomia universitária

Em pleno Natal, como um Papai Noel às avessas, Jair Bolsonaro ‘presenteia’ as Universidades e Institutos Federais com o ‘AI -5 da educação’. A Medida Provisória 914/19 interfere no processo de escolha dos (as) Reitores (as) e de todos os demais dirigentes destas Instituições.

A medida ignora a autonomia constitucional, a diversidade de estrutura de cada instituição e a democracia interna das Universidades e Institutos, ao instituir que os campi serão dirigidos por diretores (as) gerais, os quais serão escolhidos (as) e nomeados (as) pelo (a) reitor (a). Do mesmo modo, a medida abusiva acaba com a eleição direta à direção das unidades acadêmicas, ao estabelecer que os (as) diretores (as) e os (as) vice-diretores (as) das unidades serão escolhidos (as) e nomeados (as) pelo reitor (a) para mandato de quatro anos.

A MP draconiana ainda cria o Reitor Biônico, indicado pelo Presidente da República em “razão de irregularidades verificadas no processo de consulta”. Basta para isso que haja qualquer judicialização do processo de escolha para que a medida seja imposta.

LEIA TAMBÉM:

Bolsonaro acaba com voto paritário para Reitor das Universidades Federais

Por que roubar a autonomia e a democracia das Universidades valendo-se de uma medida provisória quando não há urgência ou relevância?

Ao legislar e engessar o processo de escolha dos reitores (as), Bolsonaro acredita que possa controlar as consciências. Não pode. As Universidades Federais, e a educação pública como um todo, continuarão sendo espaços de livre pensar e sempre prontas para enfrentar e resistir ao arbítrio e ao autoritarismo.

A Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara Federal condena mais esse ato antidemocrático, autoritário e torpe do governo Bolsonaro. No Congresso Nacional ou na justiça a Bancada de deputados e deputadas vai derrotar mais esse ataque à Educação pública brasileira.

Paulo Pimenta

Líder da Bancada do PT na Câmara dos Deputados