Candidato à presidência do Uruguai diz que tem grande admiração por Lula

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Daniel Martínez, candidato à presidência do Uruguai pela Frente Ampla, disse que admira a luta contra pobreza realizada pelo ex-presidente Lula (PT) e que sua prisão é política.

“Não posso deixar de dizer que Lula tirou milhões de brasileiros da pobreza e criou possibilidades para coletividades historicamente esquecidas, o que me causa uma grande admiração e uma profunda sintonia com Lula”, disse Martínez.

LEIA TAMBÉM:
Stédile: “O futuro que nos aguarda é o Chile”

Resistência ativa contra o impulso ‘bonapartista’ de Bolsonaro

Toffoli é tentado pelo populismo penal antes de julgamento final da 2ª instância

Sobre a prisão de Lula, o candidato da Frente Ampla a classificou como política: “Nunca opino sobre as decisões da Justiça, mesmo que não goste delas. Muito menos em relação a outro país. Mas este caso é muito particular. Como ficou demonstrado pelos áudios [site The Intercept], o juiz [Sérgio Moro] que o inculpou e sua equipe atuaram com intenção política para impedir que ele se candidatasse às eleições”.

Martínez também assegurou que tentará manter boas relações com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), caso vença a eleição.

“Nas relações internacionais, opiniões e simpatias pessoais não são o mais relevante. A eleição do presidente do Brasil é de exclusiva responsabilidade do povo brasileiro. No caso de ser eleito presidente do Uruguai, buscarei o melhor entendimento entre os dois governos para melhorar a qualidade de vida de uruguaios e brasileiros”, disse.

O uruguaio explicou ainda na entrevista a importância de a Frente Ampla, que está há 15 anos no poder, voltar a governar o país.

“Foram 15 anos seguidos de crescimento da economia, 60% de crescimento dos salários acima da inflação, redução da pobreza de 40% para 9%, acesso a uma saúde de qualidade para os trabalhadores e suas famílias, entre muitas outras coisas. Com base nessa plataforma, estamos em condições de dar um salto qualitativo que terminará a construção do Uruguai do século 21 em dois aspectos: o desenvolvimento humano e a transformação produtiva, para agregar conhecimento e cuidado ambiental à nossa geração de riqueza, criando novos empregos de qualidade”, afirmou.

No próximo dia 23, Martínez enfrenta o conservador Luis Lacalle Pou, do Partido Nacional, no segundo turno das eleições uruguaias.