Reforma da previdência bate na trave do Senado

Publicado em 7 outubro, 2019
Compartilhe agora!

O governo de Jair Bolsonaro (PSL) encontra resistências para concluir a reforma da previdência Senado. O segundo turno foi adiado desta semana para o próximo dia 22 de outubro.

A votação que parecia ser um “passeio” no Senado se revelou um verdadeiro tormento para o Palácio do Planalto.

No último dia 2, os senadores votaram o fim da aposentadoria em primeiro turno (confira aqui a lista dos traidores). O resultado foi bastante apertado (56 votos a 19). O governo fez apenas sete acima do necessário (49 votos), qual seja, três quintos dos 81.

LEIA TAMBÉM
Gilmar Mendes passa ‘sebo nas canelas’ antes do Roda Viva

Lula nega entrevista ao cineasta José Padilha

Lula pode ganhar na sexta-feira o Prêmio Nobel da Paz

Pois bem, os motivos da desavença são monetários. Os senadores não querem entregar a outra parte [da reforma da previdência] sem antes receber as prometidas emendas parlamentares. Eles temem levar calote de Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes.

Note o caríssimo leitor que há o consenso entre Senado, mídia, governo e bancos. No entanto, há desentendimento acerca do ‘butim’ em cima dos trabalhadores brasileiros.

Compartilhe agora!