PSL rebate Bolsonaro e diz que vai ‘apurar excessos’ contra o partido


A Executiva Nacional do PSL em nota divulgada nesta terça-feira (15) rebateu os ataques do presidente Jair Bolsonaro e diz que vai apurar “os excessos cometidos contra o partido”. A guerra entre o deputado Luciano Bivar, presidente do PSL, e Bolsonaro pelo controle dos mandatos e do fundo partidário rachou a legenda.

A crise ganhou novos contornos com a ação da Polícia Federal, no dia de hoje, que efetuou buscas em endereços de Bivar e do PSL.

A nota do partido classifica de “pueril tentativa de criar fatos artificiais que visam atender meros interesses pessoais em detrimento do interesse coletivo do partido”, e que “divergências intrapartidárias” fazem parte do “processo democrático” e devem ser resolvidas com “diálogo honesto, sem insinuações e ameaças veladas, que se mostram frágeis, sem respaldo jurídico e que em nada contribuem para o crescimento das instituições democráticas”.

LEIA TAMBÉM:

Defesa de Bivar acusa “inversão da lógica da investigação” em ação da PF

Frota critica ação da PF contra Bivar e lembra caso de Queiroz

Tabata Amaral anuncia que vai brigar na Justiça para sair do PDT

Uma reunião entre a direção e as bancadas parlamentares do PSL foi convocada para esta quarta-feira (16), em Brasília, onde será discutido os desdobramentos da crise, que tende a ganhar o caminho da judicialização.