Por Esmael Morais

Após derrota eleitoral, Macri anuncia medidas econômicas ‘anti-crise’

Publicado em 14/08/2019


O presidente argentino, Mauricio Macri, após a derrota eleitoral nas primárias do último domingo (10) para a fórmula peronista Alberto Fernández-Cristina Kirchner, anunciou nesta quarta-feira (14) algumas medidas pontuais para tentar aliviar a desastrosa situação econômica dos argentinos. As medidas não tocam nos interesses do chamado mercado e dos especuladores da divída interna e externa do país, setores responsáveis pela ruína da economia do país vizinho.

Macri – o candidato favorito do mercado – anunciou que diminuirá o imposto de renda de trabalhadores, aumentará os subsídios para os pobres e congelará os preços dos combustíveis por 90 dias, entre outras medidas.

“São medidas que trarão alívio para 17 milhões de trabalhadores e suas famílias”, disse Macri em uma mensagem gravada antes da abertura dos mercados.

Alberto Fernández diz que Bolsonaro é “racista, misógino e violento”

Bolsonaro afundou a campanha de Marci na Argentina, avalia Gleisi

O governo Macri mergulhou o país numa profunda crise econômica e social, com a volta da pobreza, desemprego galopante e privatizações selvagens dos serviços públicos.

A chapa peronista Frente de Todos de Alberto Fernández e Cristina Kirchner lidera todas as pesquisas para as eleições presidenciais em 27 de outubro.