Presidente eleito, Jair Bolsonaro, conversa com presidente do STF, Dias Toffoli, durante celebração dos 30 anos da Constituição brasiliera no Congresso Nacional em Brasília, Distrito Federal

Janaina Paschoal pede o impeachment de Toffoli

Compartilhe agora

Presidente eleito, Jair Bolsonaro, conversa com presidente do STF, Dias Toffoli, durante celebração dos 30 anos da Constituição brasiliera no Congresso Nacional em Brasília, Distrito FederalAs portas do inferno foram abertas nesta terça-feira (30). Só pode. A deputada Janaina Paschoal, por um lado, pediu o impeachment do presidente do STF Dias Toffoli; do outro, o jurista Miguel Reale Jr. também pede algo semelhante contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL), porém sob a rubrica “interdição”.

Janaina e Reale Jr. estiveram juntos no golpe de Estado em 2016 que derrubou o governo do PT para a ascensão de Michel Temer (MDB) e Bolsonaro. Na prática, eles são cúmplices pela desgraceira sem-fim no País. Exemplos? Desemprego, retirada de direitos dos trabalhadores, fim da aposentadoria, recessão econômica, volta da pobreza, de doenças antes erradicadas, aumento do ódio e da violência, do desmatamento, mortes no campo e na floresta etc.

Janaina Paschoal se apega ao Coaf para pedir o impeachment. Ela quer que o órgão investigue todo mundo, inclusive Fávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente da República e o famigerado Fabrício Queiroz, dentre outros. No pedido a deputado classifica como “criminosa” a decisão de Toffoli de suspender todos os processos judiciais instaurados sem supervisão da Justiça que envolvem dados compartilhados por Coaf e Receita Federal.

LEIA TAMBÉM
Comissão do governo vai pedir desculpas à família do presidente da OAB

782 advogados pedem afastamento de Moro do ministério

Rodrigo Maia grava vídeo em apoio a Glenn Greenwald e aumenta o isolamento de Moro; assista

Frente Povo Sem Medo organiza ato Ditadura Nunca Mais

Agora os “juristas” saíram das tumbas em que vivem para pegar uma carona em cima dos cadáveres do judiciário e do Bozo.

Sim, a Lava Jato e o ministro Sérgio Moro estão liquidando a credibilidade dos tribunais superiores e de juízes sérios que restaram. Enfim, Toffoli e Bolsonaro podem colher tempestade porque eles plantaram várias mudas de vento.

Resumo da ópera: quem tem ‘baixa imunidade’ pode sucumbir até com um resfriado bobo.