Jurista Miguel Reale Jr. defende ‘interdição’ de Bolsonaro

Compartilhe agora


O jurista Miguel Reale Jr. deu entrevista à Rádio Guaíba na segunda-feira (29) e fez duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Para o jurista, que foi um dos signatários do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma, “não é mais caso de impeachment (de Bolsonaro), mas de interdição”.

“Estamos, realmente, em um quadro de insanidade da mais absoluta. Não é mais caso de impeachment, mas de interdição”, disse Reale. “É um fato gravíssimo. Há mais de um ano, disse que quem fosse democrata não deveria votar no Bolsonaro”.

Frente Povo Sem Medo organiza ato Ditadura Nunca Mais

Ex-militantes da Ação Popular-ML rechaçam infâmia de Bolsonaro

O jurista prestou solidariedade ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, e afirmou que Bolsonaro “ofendeu todos que prezam pelos direitos humanos”.

Reale relembrou o discurso feito por Bolsonaro no voto pelo impeachment de Dilma, quando homenageou o torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, chefe do DOI-Codi, em São Paulo, durante a ditadura.