montadoras jpeg

Crise na Argentina pode parar montadoras de carros

Montadoras-JPEGDiante da crise na Argentina, o Brasil deve deixar de exportar 240 mil veículos para o país em 2019, estima a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores.

O mercado automotivo da Argentina tem apresentado queda considerável no número de emplacamentos. Em maio, de acordo com a associação das concessionárias local (Acara), foram vendidas 36.770 unidades. O número é menos da metade dos 83.200 exemplares no mesmo período do ano passado.

LEIA TAMBÉM: Boletim Focus reduz PIB ainda mais

Segundo Antônio Jorge Martins, economista, coordenador do curso de MBA em Gestão Estratégica de Empresas da Cadeia Automotiva da Fundação Getúlio Vargas (GGV), a saída mais provável será declarar lay off, que é o afastamento do funcionário por um prazo determinado, que vai de dois a cinco meses, em que ele continua à disposição da empresa.

A medida seria um remédio temporário para evitar demissões no futuro e para ver se economia da Argentina volta a crescer.

“Em princípio, pela perspectiva de retorno dessa situação mais na frente, eu diria que a medida mais adequada seria exatamente o lay off ou férias coletivas a serem adotadas pelos funcionários diretamente envolvidos nessa produção que está sendo temporariamente reduzida”, disse em entrevista à Sputnik Brasil.

Entre janeiro e maio, foram enviados 107 mil veículos para a Argentina, 54% menos do que as 233 mil unidades do mesmo período do ano passado.

As informações são do Sputnik Brasil.