Por Esmael Morais

Bolsonaro defende internação compulsória de dependentes químicos no Twitter

Publicado em 08/06/2019

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) usou o Twitter na noite de ontem (7) para defender a internação compulsória de dependentes químicos. A lei foi sancionada por ele na última quarta-feira (5) e prevê que a internação involuntária deverá ocorrer no prazo de tempo necessário à desintoxicação do paciente, com prazo máximo de 90 dias.

Segundo Bolsonaro, a internação é um recurso possível para evitar “um mal maior”.

LEIA TAMBÉM:
Cantor Fagner se diz arrependido de apoio a Bolsonaro

“Nesta semana, sancionei lei que autoriza a internação compulsória de dependentes químicos, podendo ser solicitada pela família ou responsável legal. Por vezes, esse é o último recurso possível para impedir um mal ainda maior. O dependente não é livre, é um escravo da droga”, escreveu.

A medida é criticada por vários especialistas, que afirmam que a internação forçada viola direitos humanos e sociais. Para eles, o que violenta, não trata nem inclui.