Por Esmael Morais

Bolsonaro na manifestação de domingo

Publicado em 22/05/2019

O jeito errático de ser do presidente Jair Bolsonaro (PSL) não garante que ele desistiu de ir à manifestação de domingo, dia 26, contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal.

Bolsonaro mandou avisar que não comparecerá ao protesto convocado por ele e pelo seu séquito de robôs na internet, mas o próprio presidente não veio a público dizer que ficará em casa no domingo, de chinelão de dedo e camisa amarela da seleção brasileira.

Não existe segurança de que o capitão ficará de pijama no Palácio Alvorado enquanto seus correligionários estarão em tese nas ruas. Os três filhos do presidente, por exemplo, deverão comparecer às manifestações em apoio ao pai.

LEIA TAMBÉM
Assista a íntegra da entrevista de Lula ao jornalista Glenn Greenwald

“Infelizmente, o País não sabe o que o presidente Jair Bolsonaro fará de fato no domingo. Como ele tem feito questão de deixar claro, suas palavras pouco valem. Recentemente, ele disse que vetou uma lei, quando na verdade a tinha sancionado. O veto foi restrito a apenas um ponto”, diz um trecho do editorial do Estadão desta quarta (22).

Provavelmente, Bolsonaro ficará atrás do toco durante a manifestação de domingo: se der “boa”, ele adere na última hora; se der “ruim”, ele fica em casa tomando Tubaína com bolacha de mel.

A esse respeito até o Estadão, em seu editorial, sacou que a rede bolsonarista está jogando pesado para convocar a manifestação que tem um quê de plebiscito do governo, porém o jornalão paulista vê afronta à Constituição Federal e às instituições de Estado.