Por Esmael Morais

Moro afrouxou cerco à corrupção no círculo de Bolsonaro, analisa NYT

Publicado em 26/02/2019

O New York Times, principal jornal do mundo, afirma que o legado da lava jato corre risco se o ex-juiz Sérgio Moro, agora ministro da Justiça, passar a mão na cabeça de corruptos no governo Jair Bolsonaro (PSL).

A matéria descreve a nova obsessão de Moro para aprovar seu pacote anticorrupção no Congresso e recorda que Bolsonaro teve de demitir um ministro, Gustavo Bebianno, envolvido em corrupção.

“Confrontado com acusações de corrupção contra o partido de Bolsonaro (o Partido Social Liberal), seu círculo próximo e seus parentes, o ministro Moro permaneceu em silêncio”, registra o jornal nova-iorquino.

A publicação reconhece o papel do ex-magistrado nas investigações que prenderam centenas de pessoas, inclusive o ex-presidente Lula, mas salienta que Moro desempenhou papel central na eleição do capitão reformado do Exército.

“Quando Lula liderou as pesquisas para conquistar a presidência, ele [Moro] intensificou a perseguição ao ex-presidente, que entrou na prisão em abril”, registra o NYT, não deixando dúvidas de que o encarceramento do petista teve um viés político-eleitoral.

O ex-presidente Lula, em suas redes sociais, não perdeu a oportunidade para espezinhar seu algoz político, Sérgio Moro: “De juiz que condenou Lula sem provas a ministro de Bolsonaro.”