Moro tirou a máscara, diz El país

O El país, em editorial neste domingo (4), desanca Sergio Moro por ele ter aceitado ser “superministro” no futuro governo do “ultradireitista” Jair Bolsonaro (PSL) e vê motivações políticas em suas decisões.

Segundo o jornal, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, pode ter jogado bem com o seu eleitorado, mas Moro “maculou sua carreira e fez um débil favor à Justiça ao aceitar o cargo de ministro”.

O jornal faz uma retrospectiva das ações e decisões nas quais Moro teria demonstrado motivações políticas objetivando prejudicar Lula e o PT, assim como interferir no processo eleitoral.

“Durante os quatro anos que durou a instrução, o juiz deu mostras claras em várias ocasiões de agir por motivações políticas, afetando o processo eleitoral, principalmente contra o Partido dos Trabalhadores (PT) de Lula”, diz o jornal.

Para o El país, o fato de Moro ser ministro de Bolsonaro levanta dúvidas se o ex-presidente Lula teve mesmo “um julgamento justo e se desfrutou do direito de ter um juiz imparcial”.

Ainda segundo o jornal, Lula, hoje preso em Curitiba “não é o único prejudicado. A imagem da justiça no Brasil, como um dos pilares da democracia, é a principal danificada pelo caso Moro”.

Comentários encerrados.