Requião: A existência do Brasil como Nação está em jogo

O senador Roberto Requião (MDB-PR), em nome da Frente Parlamentar em Defesa da Soberania, gravou vídeo e divulgou texto, nesta terça-feira (16), alertando para os riscos à independência brasileira representada pela candidatura de Jair Bolsonaro.

Requião afirmou que a candidatura do ex-capitão “é um movimento, uma procissão” de que participam todas as pessoas desiludidas com a política, temerosas do desemprego e da pobreza e da violência.

Leia o texto da proclamação do senador Roberto Requião e assista ao vídeo:

A existência do Brasil como Nação está em jogo

Roberto Requião*

A Pátria está em perigo. Não apenas pelas ameaças ao sistema democrático. Mais que isso: conspira-se contra a -nossa própria existência como Nação Soberana e anuncia-se a liquidação do pouco que restou do Estado Social. Ao mesmo tempo, a harmonia, a paz, a convivência, o respeito ao diverso e ao contraditório estão sob risco.

Não se tratam de suposições, de ilações. Está tudo por escrito. A palavra foi dada e a reafirmada.

É a advertência que nós, senadores e deputados da Frente Parlamentar em Defesa da Soberania Nacional fazemos ao país.

Não há condições mínimas para o desenvolvimento nacional abrindo-se mão da Petrobrás, da Eletrobrás, do domínio sobre o mar territorial, sobre as terras e sobre os recursos hídricos e florestais.

Não se desenvolveu um país sem a expansão e a proteção do mercado interno. E expande-se e protege-se o mercado interno com produção, empregos, salários e direitos trabalhistas.

Não se desenvolve um país sem o apoio e a defesa do capital produtivo nacional. Não se avança sem ciência e tecnologia nacionais. Não há crescimento sem um sistema de crédito público, que financie generosamente quem queira produzir, criar empregos e gerar riquezas.

Não se combate a violência com o culto à violência, a idolatria às armas, a sanção aos preconceitos raciais e de classe, o desrespeito às diferenças.

Jamais quebraremos as amarras do atraso e da pobreza subjugando o país aos interesses imperiais, alinhando-nos política, ideológica e economicamente às conveniências da globalização financeira.

Mas é o que propõe e defende o candidato do PSL

A soberania nacional – a autonomia irrestrita em relação às nações, empresas, negócios e instituições estrangeiras, a posse e o domínio completo do território – é a primeira condição para que se construa uma Nação independente, próspera, fraterna, solidária.

Mas não é o que pensa e prega o candidato do PSL.

Da parte do candidato do PSL não haverá surpresas. Tudo o que ele pretende fazer, já detalhou. Ele já escolheu o nosso lugar no mundo: um país subalterno, produtor de commodities e fornecedor de mão-de-obra barata, semiescravizada para a exploração nacional e internacional.

Brasileiros, está na ponta de nossos dedos dizer não à recolonizacão do Brasil. Sim ao Brasil, não a Bolsonaro.

Comentários encerrados.