Bolsonaro matou a velha mídia com as fake news, reconhece a Folha

A Folha de S. Paulo reconhece nesta terça (9) que a indústria de fake news do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) matou a velha mídia.

LEIA TAMBÉM
Globo saiu derrotada no 1º turno; Bozo é risco para hegemonia dos Marinho

“Trump e Bolsonaro ‘matam’ os mensageiros da velha mídia”, diz a chamada na capa do jornalão paulistano que ainda complementa: “Americano tinha formas de se comunicar parecidas durante a campanha de 2016.”

De acordo com a reportagem da Folha, Trump e Bolsonaro contornam a mídia tradicional e se comunicam diretamente com o eleitor de forma eficaz e conveniente. 

A jornalista Patrícia Campos Mello detalha a indústria de fake news de Bolsonaro:

“Uma equipe de marketing distribui vídeos, mensagens e memes do candidato e de seus filhos, Flávio e Eduardo Bolsonaro, para cerca de 1500 grupos de WhatsApp. Esse mesmo conteúdo digital é compartilhado pelos milhões de seguidores do candidato nas redes sociais.”

Por ter uma campanha calcada nas notícias falsas, as fake news, Bolsonaro rejeitou o ‘pacto ético’ proposto pelo adversário Fernando Haddad (PT). Respondeu à proposta xingando o petista de “canalha” e “pau mandato de corrupto”. 

Embora eles sejam iguais na disseminação das fake news, a Folha fez questão de diferenciá-los na área economia:

“Economicamente, porém, há diferenças: Bolsonaro se vende como adepto do liberalismo e tem um guru econômico egresso ultraliberal; já Trump se apoia no nacionalismo e protecionismo.”