Por Esmael Morais

Beto Richa fecha acordo com Cida Borghetti e confirma disputa ao Senado

Publicado em 04/08/2018

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) não quis recuar e disputar a Câmara, como fez o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Para garantir sobrevida política, o tucano fechou aliança com a governadora e sucessora Cida Borghetti (PP), mulher do ex-ministro da Saúde Ricardo Barros (PP), que vai à reeleição.

O entendimento eleitoral entre Cida e Richa foi sacramentado nesta sexta (3) durante convenção estadual do PTB, que também lançou o deputado Alex Canziani ao Senado.

“Sim, confirmamos a continuidade da aliança que venceu as eleições de 2014 e fez uma excelente gestão, com avanços evidentes em áreas essenciais para os paranaenses”, confirmou o ex-governador que, após muita pressão, acabou abandonando seu ex-secretário, candidato e amigo Ratinho Junior (PSD).

Beto Richa queria mostrar que tinha ‘pés largos’ colocando cada um deles numa canoa, mas foi impedido (enquadrado) pelas circunstâncias políticas.

O prefeito de Curitiba Rafael Greca (PMN), que não pode ouvir o nome ‘Ratinho’ pela frente, jogou pesado para que o aliado tucano apoiasse Cida. Ratinho esteve no segundo turno da eleição de 2016 com o deputado estadual Ney Leprevost (PSD), contra Greca.

“A governadora Cida Borghetti tem totais condições de dar continuidade ao bom trabalho que fizemos e esse sentimento é que reforçou a decisão de manter nossa aliança. Vamos em frente pelo bem do Paraná!”, declarou Beto Richa.

Por sua vez, Junior, o filho do apresentador Ratinho, promete vingança lançando um candidato ao Senado. Um dos cogitados é o deputado Fernando Francischini (PSL), homem de confiança de Jair Bolsonaro (PSL) no Paraná.