Deputados sofrem cerco de professores nas vésperas da votação da reforma da previdência

Compartilhe agora!

Aeroporto é lugar mais insalubre para deputados da base de Michel Temer, principalmente nas vésperas de votação da reforma da previdência. Veja o caso dos parlamentares paranaenses, que sofreram cerco de professores no Afonso Pena (Curitiba).

A APP-Sindicato não acreditou na conversa de que o fim da aposentaria não seria votada. Prova disso é que Professora Marlei Fernandes liderou o batalhão na madrugada desta segunda-feira (4) para abordar deputados do Paraná que embarcavam para Brasília.

“Fizemos uma reunião com os partidos da base e saímos da reunião com expectativa muito grande de conseguir reunir os votos destes partidos que somam mais de 320 votos”, declarou hoje o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ).

“Se votar [na reforma da previdência] não volta [não será reeleito]”, advertiam os manifestantes no saguão do aeroporto.

Um dos abordados pela blitzkrieg da educação foi o deputado Takayama (PSC-PR).

O governo Temer quer que o trabalhador contribua 40 anos a fim de obter o direito à aposentadoria integral, mas dá isenções fiscais de R$ 1 trilhão às petrolíferas que exploram as jazidas de óleo e gás no país. Uma das beneficiadas dessa patifaria é a Shell.

Compartilhe agora!

Comments are closed.