Lula volta a defender regulação da mídia, após propinoduto da Globo

O ex-presidente Lula tem uma certeza: “Quem quiser ter um programa para querer governar este país daqui para a frente terá de encarar a regulamentação dos meios de comunicação”.

O recado foi dado à Globo e aos jornalões durante Congresso do PCdoB, neste domingo (19), em Brasília, ainda sob o impacto das investigações nos Estados Unidos do propinoduto da emissora para conseguir exclusividade na transmissões de jogos da Fifa.

Para Lula, não faz sentido que apenas algumas famílias, como a dos Marinho, mandem na comunicação do país inteiro.

“Eu quero como a tv alemã, a francesa, eu quero que tenha liberdade, que tenha direito de resposta, que a oposição possa se manifestar, as universidades, os estudantes, os sindicatos possam se manifestar. Não é essas famílias mandarem na comunicação do país inteiro”, disse o petista.

Num discurso de 40 minutos, o ex-presidente manifestou apoio à pré-candidatura de Manuela D’Ávlia, do PCdoB; pediu mobilização popular para barrar as políticas neoliberais de Michel Temer; criticou a reforma trabalhista; e a entrega do pré-sal à multinacionais.

“Eles não são governantes, são usurpadores. Eles não têm compromisso com o povo brasileiro. Eles estão acabando com a soberania e nós temos que reconquista-lá. E com coragem, vamos para rua juntos!”, convocou Lula.

Abaixo, assista ao discurso de Lula no Congresso do PCdoB:

Comentários encerrados.