Deputado Enio Verri propõe ‘desobediência civil’ contra reforma trabalhista

| 12 Comentários

O deputado Enio Verri (PT-PR) torce para que esta sexta-feira, dia 10 de novembro, seja o início de uma inarredável desobediência civil contra o golpe de 2016 e o que ele está tirando da nação e dos brasileiros. O movimento é para não respeitar a reforma trabalhista, prevista para vigorar a partir deste sábado (11).

Sem resistência, o Brasil não será dos brasileiros

Enio Verri*

Há mais de um ano, a nação brasileira assiste a um voraz desmonte do Estado e a destruição da capacidade de se alcançar e manter a soberania, tanto do ponto de vista da entrega dos bens da nação, quanto da supressão de direitos trabalhistas. Partidos do campo da esquerda, entre os quais o Partido dos Trabalhadores (PT), ocupam diariamente as redes sociais a denunciar o golpe contra a democracia, instalado em 2016. Apensar de as informações serem as mais aterradoras para o futuro de toda a nação, o comportamento geral é de apatia e perplexidade.

Desde o início de 2016, o Estado foi asfixiado na sua capacidade de desenvolvimento; as empresas estratégicas e os recursos energéticos são entregues ao capital internacional, privado e estatal; as condições de trabalho voltam ao período da escravidão, com a maior desregulamentação das relações entre o capital e o trabalho e decreta-se o fim da Previdência e o direito dos pobres de se aposentarem. A cada dia, revela-se mais nitidamente o caráter entreguista desse desgoverno golpista, bem como a face da classe para quem Temer governa, a elite brasileira.

Depois que paralisou o Estado, a camarilha retirou de uma das maiores petrolíferas do mundo, a Petrobras, a prerrogativa dela ser a operadora exclusiva do pré-sal, uma área com recursos energéticos de valor inestimável, com cerca de 80 bilhões de barris de petróleo e gás. Fosse o Brasil o dono, hoje seria o 6° maior produtor de petróleo do mundo. Era, segundo o Lula, o bilhete premiado do Brasil para a soberania e posição de destaque nas cúpulas de decisões mundiais. E a voracidade vai bem além.

Temer editou a MP 795/17, e concedeu isenção fiscal a empresas estrangeiras que preferirem comprar da indústria de seus países, a comprar da indústria brasileira, equipamentos para retirar o nosso petróleo. Em meio a 13 milhões de famílias brasileiras atemorizadas pelo desemprego, o golpista decorativo estimula a criação de empregos e de tecnologia em outros países. Quando é para favorecer o capital internacional, não há déficit público. Apenas em 2018, o Brasil terá um prejuízo de R$ 17 bilhões. Até 2014, o valor pode chegar a R$ 1 trilhão.

A camarilha também editou a MP 805/2017, que aumentou de 11% para 14% a alíquota de contribuição social e revogou a recomposição salarial dos servidores públicos. Com a suspensão do reajuste, o governo espera economizar R$ 5 bilhões, em 2018. Já com o aumento da alíquota, Temer espera arrecadar R$ 2 bilhões. O ministério de notáveis bandidos também anunciou que reduzirá o salário mínimo, em R$ 10. A economia esperada, em 2018, com o saque no salário dos mais pobres para cobrir um rombo superior a R$ 159 bilhões, é de aproximadamente R$ 380 milhões.

O espaço é pequeno para descrever que será feito com o BNDES, a CEF, o Banco do Brasil, a Eletrobras, os Correios, a Casa da Moeda, aeroportos, entre cerca de 60 empresas na mira das privatizações que Temer pretende levar adiante. Assim, ele paga sua dívida com quem o sustenta no poder e ainda pode reaver os bilhões que gastou comprando deputados para livrá-lo dos crimes que cometeu, com a sua camarilha.

O que ainda falta acontecer para a população reagir à altura contra os crimes de lesa-pátria perpetrados pelo consórcio golpista, formado pelos três poderes da República, a elite financeira e uma de suas armas, os grandes veículos de comunicação? A mídia mantém a população atenta à novela Lava Jato, ou a alguém nu no museu, ou ao mais novo namorado de uma apresentadora de televisão. Enquanto isso, a nação é assaltada sem uma mínima reação contra os traidores.

Caso a imprensa noticiasse o golpe e os crimes cometidos por ele, com a mesma intensidade e virulência com que persegue Lula e o PT, o ministério de notáveis traidores da nação não teria durado uma semana no Palácio do Planalto. É inacreditável, por exemplo, não ter havido uma grande paralisação da classe trabalhadora contra as declarações infelizes do presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra. O fato é noticiado positivamente, sob as expressões “modernização” e “criação de empregos” para 13 milhões de pessoas desesperadas por uma vaga de trabalho.

Segundo o presidente de um tribunal de jus-ti-ça, é justo que trabalhadora/es pobres, desta/es que empesteiam o nobre ar das varas e dos imaculados gabinetes dos juízes da Justiça do Trabalho, em sandálias de dedo e maltrapilhos, paguem as custas do processo, quando esta/e, por qualquer motivo, perder a causa. Não foi um ministro da Finlândia, mas o de um país onde a escravidão durou 400 anos, acabou há apenas 129 anos e foi muito mal resolvida, gerando um passivo histórico com a nação.

Oxalá, o dia 10 de novembro seja o início de uma inarredável desobediência civil, de todas as famílias brasileiras que prezam pela sua dignidade e acreditam na soberania brasileira como condições para retomarmos o que o golpe de 2016 está tirando desta nação. As mãos egoístas da elite mais brejeira e truculenta das Américas devem ser contidas e algemadas. Já a sua mídia abjeta, democratizada. Às ruas, somente as ruas farão recuar o golpe e nos darão de volta o botim do golpe de 2016.

*Enio Verri é deputado federal pelo PT do Paraná.

12 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. os juízes do trabalho estão defendendo os seus cargos, com a reforma trabalhista não vai ter mais tantas ações e êles vão perder o poder. Esses juízes estão acabando com as empresas, os empregos, com salário desemprego. É o que de pior existe em termos de justiça. Muitas pessoas que tem dinheiro e poderiam abrir empresas e criar empregos não o fazem por causa desta justiça trabalhista que só existe no Brasil, que considera todo empresário, gerador de empregos, como bandido e ladrão.

    • GERALDO ROYER, queres trabalho escravo seu picareta, vá para a terra de onde certamente sua família partiu como um imigrante em condições de escravo, seu FDP!

  2. Imagina quem inicia este movimento, pilantra do PT, cuja corja deixou o Brasil nesta situação. Gostaria que houvesse desobediencia civil, principalmente não pagando impostos para asfixiar esse governo e provocar uma intervenção militar. É a única solução para o Brasil, pacificamente, sem viol^^encia.

  3. Vai esperar o que de um pilantra como este?

  4. Deputado……………….., essa LUTA havia de ser travada nas ruas há muito tempo atrás……………………….; e se não foi, foi devido a tibieza e/ou indolência e/ou mesmo covardia da bancada do PT e de resto das Esquerdas como um todo…………….., no Congresso e fora dele……………….!!!!

    Agora é chover no molhado………………….!!!!!

    • EDSON CARVALHO, compartilho com o seu ponto de vista, não se pode admitir que um governo de 12 anos, tenha por exemplo nomeado dentre tantas coisas um STF mais traiçoeiro, jamais visto na nossa história! Agora leio numa publicação que Lula almeja compor com golpistas pára eventualmente chegar ao poder em 2018, se isto acontecer não governa por mais que seis meses!

  5. Desobediência civil já! “Temer editou a MP 795/17, e concedeu isenção fiscal a empresas estrangeiras que preferirem comprar da indústria de seus países, a comprar da indústria brasileira, equipamentos para retirar o nosso petróleo. Em meio a 13 milhões de famílias brasileiras atemorizadas pelo desemprego, o golpista decorativo estimula a criação de empregos e de tecnologia em outros países. Quando é para favorecer o capital internacional, não há déficit público. Apenas em 2018, o Brasil terá um prejuízo de R$ 17 bilhões. Até 2014, o valor pode chegar a R$ 1 trilhão” – um cara que se diz presidente e dá isenção para empresas petrolíferas, que nós brasileiros pagamos, para que essas gerem empregos em seus países de origem- é o fim da picada! Será correto que o cínico temeroso explicasse sua equação do pior lesa-pátria que o Brasil tem o desprazer de ter.

  6. Os próprios juízes do trabalho estão contra essa reforma. Então porque nós vamos obedecê-la?

    • os juízes do trabalho estão defendendo os seus cargos, com a reforma trabalhista não vai ter mais tantas ações e êles vão perder o poder. Esses juízes estão acabando com as empresas, os empregos, com salário desemprego. É o que de pior existe em termos de justiça. Muitas pessoas que tem dinheiro e poderiam abrir empresas e criar empregos não o fazem por causa desta justiça trabalhista que só existe no Brasil, que considera todo empresário, gerador de empregos, como bandido e ladrão.

    • Ainda temos Juízes em Berlim, apesar de tudo que vem acontecendo!

  7. Isaías – Capítulo 24;5
    Na verdade, a terra está contaminada por causa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, violam os estatutos ….

  8. Como disse o Luter King…temos o dever moral d e rebelar contra as leis injustas!
    Não so rebelar como tb tirar dos tres podre-res essa quadrilha instalada no país…acaso isso que eles estão fazendo está de a corda a nossa constituição
    ?

Deixe uma resposta

Preenchimento obrigatório *.