Nomeação de Serraglio na Justiça dá ‘chabu’ no PMDB e no Congresso

Depois de o senador Roberto Requião (PMDB-PR) abrir fogo, agora é a vez do vice-presidente da Câmara Fábio Ramalho (MG) anunciar “rompimento” com o governo Temer em virtude da nomeação de Serraglio para a Justiça:

“Estou rompendo com o governo e vou colocar toda a bancada de Minas para romper também. Se Minas Gerais não tem ninguém capacitado para ser ministro, não devemos apoiar esse governo. Vou trabalhar no plenário contra o governo, para derrotar o governo em tudo. A vice-presidência da Câmara vai ser um ponto de apoio aos que não estão contentes”, afirmou Ramalho.

O vice-presidente da Câmara e coordenador da bancada de Minas defendia um “mineiro” para a Justiça, mas viu seu pleito frustrado nesta quinta (23) com o anúncio do paranaense Osmar Serraglio (PMDB), presidente da CCJ, como substituto de Alexandre Moraes, que foi para o STF.

O senador Roberto Requião, mais cedo, classificou a nomeação de Serraglio como sendo “a nomeação de Eduardo Cunha” para o Ministério da Justiça.

Segundo Requião, que conhece como ninguém Serraglio, o deputado traiu o PMDB e é do grupo político de Cunha — preso pela Lava Jato desde outubro do ano passado.

Comentários encerrados.