Marcelo Araújo: No debate dos candidatos a prefeito em Curitiba, venceu o juiz

marcelo_debateO colunista Marcelo Araújo deixa a sua impressão sobre o primeiro debate realizado pela Band TV, encerrado na madrugada desta terça (23), com todos os candidatos à Prefeitura de Curitiba. “A exemplo do que aconteceu nas Olimpíadas, quando o brasileiro não tem time para torcer, torce pelo juiz”, diz o articulista ao destacar o mediador da contenda Douglas Santucci. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe o texto:

Download do áudio

Debate entre os candidatos

Marcelo Araújo*

Na noite desta segunda-feira, invadindo os primeiros minutos da terça-feira, realizou-se o primeiro debate entre os candidatos à prefeitura de Curitiba, transmitido pela rede Bandeirantes, tendo como grande destaque o apresentador/mediador o jornalista Douglas Santucci, o qual demonstrou muita segurança e tranquilidade na condução do debate. A exemplo do que aconteceu nas Olimpíadas, quando o brasileiro não tem time para torcer, torce pelo juiz!

O atual prefeito que concorre à reeleição deixou muito clara a ansiedade, sedento por justificar-se, dar explicações, procurou mostrar-se rico de informações e soluções, chegando literalmente a ‘babar’ de tanta vontade de falar. Ficou evidente que ele é o cara a ser batido, e o que agrada aos demais candidatos é que ele mesmo colabora para isso.

Um detalhe torna o debate pitoresco. Caso o atual prefeito Gustavo do PDT tivesse se licenciado para a campanha quem assumiria o cargo seria a vice Mirian Gonçalves do PT. Ocorre que o PT tem candidato próprio Tadeu Veneri o qual é forçado a desmentir, corrigir e conter, respectivamente as afirmativas e promessas exageradas e inviáveis, o que expõe contradições que saem das quatro paredes. Como ele disse, vender terreno na Lua traz dificuldade para tomar posse!

No judiciário alguns episódios não menos pitorescos. O Secretário de Governo Ricardo MacDonald move ação contra o candidato Rafael Greca para revogar sua aposentadoria e tentar colar a alcunha de fantasma do cargo na prefeitura quando cedido ao Senado.

Só faltava o Greca acusar seu algoz de fantasma quando sai no meio do expediente para organizar a bela cabeleira, como habitual e periodicamente o faz.

A Secretária de Trânsito não tem tido muito sucesso na sua tentativa de me acusar de calúnia e difamação por ter supostamente falado num programa de televisão que haveria uma cota de multas a ser alcançada.

O Ministério Público acaba de lhe dar uma tarracada, tanto por ilegitimidade quanto preclusão, além de absoluta falta de elementos do que alegou. Obviamente merece responder por Denunciação Caluniosa, como estou pedindo agora (Autos:0031700-87.2015.8.16.0182 do 2º Juizado Criminal).

Para finalizar um passarinho me contou (e não sei se é verdade) que o funcionário público estadual Celso Nascimento teria se sentido ameaçado porque eu teria ido no Museu da Imagem e do Som, prédio público na Barão do Rio Branco, ao ponto de ter registrado um Boletim de Ocorrência. Se isso for verdade (o B.O.) finalmente me seria dada a oportunidade de sentar na frente de um covarde e mentiroso que se sente ameaçado até pela própria sombra. Celso, fique tranquilo, não te faria mal e sei respeitar filas.

De multa eu entendo!

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas terças-feiras para o Blog do Esmael.

Comentários encerrados.