Luiz Claudio Romanelli: “Temer corre o risco de ir para a casa antes do que pretendia”

Romanelli_Michel_TemerDeputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, em sua coluna desta segunda-feira (13), faz uma advertência ao interino Michel Temer (PMDB): se não ouvir a voz rouca das ruas, corre o risco de ir para cada antes do que pretendia.

“Se Dilma voltar, ela já avisou que fará uma consulta à população sobre a possibilidade de novas eleições. E aí, como aponta a última pesquisa CNT, Lula sai na frente”, anota o colunista, que abre reverberando: “Há um clima de decepção e até de revolta no ar”. Leia, ouça, comente e compartilhe abaixo íntegra do texto:

Download do áudio

Temer e a voz que vem das ruas

Luiz Claudio Romanelli*

“Estou sempre disposto a aprender, mas nem sempre gosto que me ensinem”.
Winston Churchill

Há um clima de decepção e até de revolta no ar. Mesmo aqueles que viam no presidente Michel Temer uma esperança de mudança positiva já revelam publicamente seu desencanto e revolta com as desastradas medidas e os recuos constantes.

Numa canetada, extinguiu-se o Ministério da Cultura. Diante dos protestos, outra canetada restabeleceu o ministério. Mal sentaram na cadeira, dois ministros foram rapidamente desalojados, diante do flagrante dos grampos em que conspiravam contra a Lava Jato.

Não são apenas os sem-terra do MST, acampados em Curitiba, ou estudantes universitários e sindicalistas da CUT que protestam contra as políticas do presidente interino. Na semana que passou, 15 instituições de pesquisa entregaram cartas de repudio à decisão de fundir os ministérios das Comunicações e da Ciência e Tecnologia.

Entre as signatárias do documento, estão a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, Academia Brasileira de Ciências e a Fundação Oswaldo Cruz.

Vários outros setores da sociedade civil organizada protestam contra medidas adotadas pelo governo interino, especialmente na economia. Há uma evidente contradição entre o discurso e a prática no governo Temer. O Governo defende cortar gastos com saúde e educação por intermédio da Desvinculação de Receitas da União- DRU, mas ao mesmo tempo aumenta o teto do funcionalismo (a remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal passa de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil), concede reajustes salariais ao Legislativo e ao Executivo e cria 14 mil novos cargos.

É um contrassenso ao discurso de austeridade que revela um Temer refém do Congresso e de interesses corporativistas pouco republicanos.

A proposta de Desvinculação das Receitas da União (DRU) aprovada pela Câmara dos Deputados e que seguiu para aprovação pelo Senado está sendo duramente questionada por instituições como o Conselho Nacional do Ministério Público, o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais dos Ministérios Públicos dos Estados e da União e o Ministério Público Federal. Para essas entidades, a aprovação da DRU provocará cortes substanciais nas verbas destinadas obrigatoriamente a áreas como saúde, educação e seguridade social.

“Com a medida, serão afetados o custeio mínimo das ações e serviços públicos de saúde, as contribuições sociais que amparam a seguridade social e as contribuições de intervenção no domínio econômico, bem como todos os fundos e órgãos que tenham alguma vinculação orçamentária a seu favor”, diz uma nota divulgada pelo Ministério Público do Paraná.

No Senado, a proposta de reajuste salarial pode cair já que ficou evidente a contradição. Foi votado um déficit de R$170,5 bilhões e, na semana seguinte, o governo aprovou na Câmara um aumento aos servidores públicos. Das duas uma: ou não podemos dar aumento salarial, nem criar cargos, nem aumentar tetos, ou aprovaram um déficit que não existia.

Essa responsabilidade fiscal, mais do que nunca, neste momento conturbado nacional, é preciso que se tenha.

O economista André Nassif, da Fundação Getúlio Vargas, ouvido pelo El País Brasil, diz que a aprovação do pacote de bondades de Temer leva ao questionamento se o próprio déficit de 170 bilhões é legítimo.

“Começamos a nos perguntar se esse déficit, elevado de 96 bilhões para 170,5 bilhões, já não inclui uma espécie de ‘licença para gastar’ com a conta do impeachment”, disse.

A nomeação de Henrique Meirelles para o Ministério da Fazenda reacendeu a esperança em mudanças da política econômica, com a adoção de mecanismos de combate a recessão, redução dos gastos públicos.

O que se viu, no entanto, foi a proposta de aumento do déficit primário de R$ 96 para R$ 170 bilhões, a aprovação do pacote de bondades para o funcionalismo e a manutenção da taxa de juros elevada.

Onde estão as medidas para o controle dos gastos públicos? Não creio que congelar os gastos públicos pela inflação, conforme proposto por Temer, seja a solução.

A dívida pública federal teve aumento recorde de 21,7% no ano passado, para R$ 2,79 trilhões. Em valores nominais, crescimento da dívida pública em 2015 foi de R$ 498 bilhões. Os gastos de R$ 367 bi com juros tiveram o maior peso no aumento da dívida.

É a grande conta que desequilibra tudo. E aí, obviamente, faltam recursos para todas as outras áreas da administração pública.

Dia a dia fica mais evidente o loteamento de cargos entre os partidos que apoiaram o impeachment. No dia 8, o Diário Oficial trouxe a nomeação do novo Secretário Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho. Trata-se de Natalino Oldakoski, escrivão de polícia Classe C 1, aposentado pelo Estado do Paraná, que substituirá o economista Paul Singer, um dos mais respeitados intelectuais brasileiros.

Quem foi às ruas pedir a saída de Dilma certamente não tinha a expectativa de ter um governo ainda pior do que tínhamos.

É justamente devido a todas essas políticas e escolhas equivocadas que aumentam os rumores sobre a possibilidade de senadores que votaram pela admissibilidade do impeachment da presidente Dilma reverem suas posições.

Se Dilma voltar, ela já avisou que fará uma consulta à população sobre a possibilidade de novas eleições. E aí, como aponta a última pesquisa CNT, Lula sai na frente.

Se continuar dando um passo para frente e dois para trás, cometendo mais erros que acertos, Temer corre o risco de ir para a casa antes do que pretendia. É bom que comece a ouvir- como diria FHC- a voz rouca das ruas.

*Luiz Cláudio Romanelli, advogado e especialista em gestão urbana, ex-secretário da Habitação, ex-presidente da Cohapar, e ex-secretário do Trabalho, é deputado pelo PSB e líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná. Escreve às segundas-feiras sobre Poder e Governo.

17 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Você é afiliado de produtos digitais?
    Eu tenho algo especial para você
    clica no nome para saber mais…

  2. Tá mais que claro que o impeachment, é um golpe urdido pela direita, com o fim de barrar os avanços sociais e manter o povo sob escravidão com os auspícios dos EUA.
    FOOOOOORA TEEEEEMER! FOOOOOORA REEEEDE GLOBO! FOOOOOORA CUUUUUNHA! FOOOOOORA TEEEEEMER!

  3. Se o lula assumir de novo e o fim dos tempos . vamos viver só de miséria aqui na terra e a futura geração vão viver. iqual na África vamos nação brasileira pedir. ADEUS q não permita esse P T go vernar o pais

  4. Me perdoe, mas que matéria ridícula, fraca e tendenciosa, óbvio que todos os problema citados de dívidas , são consequências de 13 anos de incompetência , irresponsabilidade e roubalheira do governo PT, lógico que o País não vai se consertar da noite para o dia, temos que ter responsabilidade quando fazemos uma matéria , claramente está não teve, não tem pé nem cabeça , quem escreveu não tem conhecimentos de economia, e sim, simples opinião tendenciosa , comparar governo Lula e Dilma…., sem comentários, esses, junto com o seu bando petralha, destruíram o nosso Bradil !!!!

  5. Como já disse anteriormente. Os caras não estão nem ai para acabar com a corrupção, o medo deles é a volta do Lula e ai adeus as eleições por mais oito anos. Escrevam o que estou dizendo. O povão pode não estar se manifestando, mas se Lula for candidato não tem mais para ninguém, pois tem mais pobres do que ricos neste país ai o que vale é a quantidade, e neste ponto tem 99% de pobres incluindo os tais “classe médias” que são pobres também só não enxergam isso, e os 1% de fato que são ricos. A conta é simples como dois mais dois é quatro. E portanto nem que a classe “média” votasse contra o Lula ele perderia pois ainda teria mais ou menos 60% a seu favor.
    Agora vamos parar de achar que isso que hoje está ocorrendo no Brasil é para acabar com a corrupção, isso que está acontecendo no Brasil é para acabar com o Lula para as próximas eleições. E tanto os ricos como os remediados da classe média acreditam piamente que isso é verdade. Como disse Eduardo Cunha em seu pronunciamento em 17/04/2016 “Que Deus nos proteja”. pois estamos nas mãos de uns larápios.

    • Espero que acabe mesmo com a pretensão do barbudo. Repito, deu hoje no Diário do Brasil:
      ““Teori Zavascki bate o martelo! Processos contra Lula vão descer para Curitiba”

  6. Mas ele já levou a ” recatada e o filhote” pra Brasília.
    Tá certo que vai Governar para sempre.
    Já destruiu boa parte do Brasil, junto com um Ministério Denunciado!
    Está na hora do Requião mudar de Partido.
    O PMDB provou que tem no comando uma quadrilha.
    Já que é tempo de São João, vamos então dançar quadrilha.

  7. Primeiramente: FORA TEMER GOLPISTA, família e quadrilha…
    A coisa funciona assim:
    1) Vence um governo de esquerda
    2) Aumenta a classe média
    3) A classe média começa a crer que é rica e apoia a direita
    4) A direita destrói a classe média
    5) A classe média empobrecida vota em um governo popular
    6) Volta ao 1)
    A coxinhada está no 3) – Fase do “Pobre de Direita”.
    Pensa que a direita vai manter e melhorar seu status quo, SQN. A renda será tragada pela concentração. Nessa fase basta ler uma manchete para “se indignar”
    e escarrar no prato em que comeu.

  8. Bem ou mal o Temer, vice que vocês escolheram, irá continuar. A Dilma pau mandado enfiará a viola no saco e rumará para o sul. Bem que podia ir pra Cuba ou Venezuela. E o barbudo cachaceiro para o Complexo Médico Penhal de Pinhais dividir cela com o seu “companhero” de maus feitos Zé, pilantra, Dirceu.

    • APARTIDARIO NUNCA VI TANTA BURRICE EM POUCAS PALAVRAS QUE SÓ TU MESMO POBRE METIDO A RICO E TODO O SUJEITO COM ESSE CURICULO TEU MORRO JUNTO COM O PERU SEMPRE NA VESTE POIS ELES NAO TE DEIXARAO TU RECLAMAR DELES ENTAO PERDEU A OPORTUNIDADE DE FECHAR SEU BICO COMPRIDO DE TUCANO SEM VOTOS

      • Primeiro aprenda a escrever pra ser entendido Ildo. De qualquer forma deve ter escrito coisa sem importância. Você vai gostar desta notícia que saiu hoje no Diário do Brasil:
        “Teori Zavascki bate o martelo! Processos contra Lula vão descer para Curitiba”
        Aí, tchau querido.

    • Então espere sentado Apartidário pois de pé irá se cansar. Você acredita que isso irá acontecer de fato. Se leu os últimos noticiários, deve ter percebido que o Temmer e Cia querem acabar com o Lava Jato, que está desvendando o mundo do crime da política brasileira. E você acha que eles irão acabar prendendo somente os petistas que tanto você ama.
      Vamos ser sensatos. O Brasil está entregue nas mãos de ladrões e os culpados somos nós que os colocamos lá, Votando a favor ou contra eles.

  9. Deu saudades AMK? Kkkkkkkkk

  10. Cade o “Apartidário”? Será que ainda não acordou para defender o seus ídolos (Sergio Moro, Gilmar Mendes, Temer, Aécio, Beto Richa…) aqui no blog???

  11. novo Secretário Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho. Trata-se de Natalino Oldakoski, escrivão de polícia Classe C 1, aposentado pelo Estado do Paraná, que substituirá o economista Paul Singer, um dos mais respeitados intelectuais brasileiros.

    Em suma, é o governo dos boçais + ladrões.

  12. Derrubar Temer é muito fácil.

    Pelo que segue:

    A classe média sem cérebro, proprietária de bufês, lojinhas, acha que lucrará com o Plano de Ferrar os direitos trabalhistas.

    Mas esses comércios tem poucos empregados. E isso pouco os afetará. Seus problemas estão relacionados a:

    Falta de consumo.
    Falta de salário do consumidor.
    Espaço no mercado.

    Sem Dinheiro na base da piramide só os ricos ganham.

    Importante explicar isso para esse pessoal.

    A SELIC dos ricos esta garantida. A sonegação também.

    No final todos vamos nos ferrar juntos com Temer. Menos os ricos. Pior. Os ricos improdutivos. Poucos ricos há produtivos.