Jorge Bernardi: Tia Eron, a certeza de que o futuro deste país está nas mulheres

jorge_bernardi_tia_eronJorge Bernardi (REDE), em sua coluna deste sábado (18), registra que a deputada Tia Eron (PRB-BA) foi quem degolou o “esperto” Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho Ética da Câmara.

O colunista frisa que depois de uma semana sendo achincalhada pela imprensa e por alguns de seus pares, ela arrasou dizendo que “estava ali para resolver o problema que os homens não conseguiram em 8 meses. Acrescentou: “não mandam nesta Nêga aqui”.

Bernardi se surpreendeu no voto dela a citação do ex-senador Darcy Ribeiro e do escritor Umberto Eco, por isso, deduz o articulista, “demonstrou estar preparada para o exercício do cargo”.

Ao dizer que Tia Eron deu lição de princípios e ética para toda a nação, Bernardi afirma esperançoso: “Talvez esteja nas mulheres o futuro promissor deste país”. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto:

Download do áudio

Tia Eron e a ética feminina

Jorge Bernardi*

Há 15 dias a deputada Tia Eron era uma ilustre desconhecida, até mesmo de seus pares, de Congresso Nacional. Tornou-se celebridade nacional, depois de votar, no Conselho de Ética, pela cassação do mandato do deputado Eduardo Cunha, o esperto presidente da afastado da Câmara Federal, por suspeita de corrupção.

Num conselho composto de 20 homens e apenas ela como mulher, ao chegar ao Conselho de Ética, depois de uma semana sendo achincalhada pela imprensa e por alguns de seus pares, arrasou dizendo que “estava ali para resolver o problema que os homens não conseguiram em 8 meses. Acrescentou: “não mandam nesta Nêga aqui”.

Mas quem é Tia Eron? Eronildes Vasconcellos Carvalho, mulher, negra, viúva e mãe de um casal de filhos, militante dos direitos femininos, foi quatro mandatos consecutivos vereadora de Salvador, Bahia.

Eleita deputa federal pelo Partido Republicano Brasileiro, o PRB, em 2014, agremiação política que possui fortes ligações com a Igreja Universal, em pouco tempo disse ao Brasil qual o seu papel na vida política brasileira. Criada na periferia da capital baiana, lutando contra o preconceito racial e na defesa das mulheres e das crianças, Tia Eron ganhou o apelido quando ensinava os princípios da ética cristã na Escola Bíblica Infantil, EBI.

Ao votar a favor do relatório que propunha a cassação do mandato de Eduardo Cunha, Tia Eron demonstrou estar preparada para o exercício do cargo. Citando o ex-senador Darcy Ribeiro e o escritor Umberto Eco, afirmou que se deve trabalhar para não chafurdar o Brasil, e que na consciência é que reside a verdade.

Num tempo em que a República está caindo de podre, que os principais líderes políticos brasileiros estão na lama, a voz da professorinha baiana, deu uma lição de princípios e ética para toda a nação, e soou como uma esperança.

Talvez esteja nas mulheres o futuro promissor deste país. Não naquelas que repetem a cartilha da sociedade patriarcal, do nepotismo, mas aquelas que tem consciência de que são livres para propor um novo Brasil, ético e sem corrupção. Os brasileiros esperam ver Cunha e todos os corruptos na cadeia. Viva Tia Eron.

*Jorge Bernardi, vereador de Curitiba (REDE), é advogado e jornalista. Mestre e doutorando em gestão urbana, ele escreve aos sábados no Blog do Esmael.

Comentários encerrados.