ESPECIAL FOZ DO IGUAÇU 102 ANOS

materia 1Um destino em alta

Foz do Iguaçu completou, no dia 10 de junho, 102 anos de criação. Sede da usina hidrelétrica de Itaipu, a maior produtora de eletricidade do mundo, a cidade tem em seu território uma das sete maravilhas da natureza, as Cataratas do Iguaçu. Dois atrativos que se somam a outras peculiaridades do município, que faz fronteira com dois países e tem seu território cortado por dois dos maiores rios do Brasil, o Paraná e o Iguaçu.

O turismo é a vocação natural de Foz do Iguaçu, que recebe por ano aproximadamente 3 milhões de visitantes, vindos de todas as partes do mundo. Maior fonte de empregos do município e principal fonte de receitas, Foz é o terceiro destino brasileiro mais visitado por estrangeiros e é, também, uma das cidades que mais recebem eventos internacionais. E, a cada ano, ganha ainda mais importância, graças a uma atuação conjunta dos responsáveis pelo turismo do município.

A Gestão Integrada do Turismo de Foz do Iguaçu, que completa em 2016 nove anos de união e trabalho pelo fortalecimento do Destino Iguaçu, alcançou conquistas importantes. Conseguiu renovar a imagem do destino perante os públicos consumidores de turismo; consolidou Foz do Iguaçu como destino de lazer, eventos, ecoaventura e compras; e contribuiu para que ficasse entre as cinco cidades brasileiras que mais recebem eventos nacionais e internacionais. Para atrair mais visitantes e fazer com que fiquem mais tempo no destino, foram criados novos atrativos e produtos turísticos. Com isso, o número de visitantes no Parque Nacional do Iguaçu dobrou nesses nove anos, enquanto triplicou o número de voos, expandiu-se e aprimorou-se a rede hoteleira. A cidade atraiu mais investimentos, gerando assim mais empregos.

Gilmar Piolla (foto), superintendente de Comunicação Social de Itaipu, vice-presidente do Fundo Iguaçu e secretário do Codefoz, afirma que “a Gestão Integrada do Turismo, por tudo que ela representa, com essa soma de forças do setor público e da iniciativa privada, é um diferencial estratégico considerável para que possamos superar esse momento de crise pelo qual atravessa a economia brasileira”.

Para ele, a hora é “de reagir, reagir e reagir. Foz do Iguaçu desfruta de condições privilegiadas em relação aos demais destinos brasileiros. Tem uma imagem positiva no imaginário das pessoas. Atrativos se destacam não só pela beleza, mas também pela qualidade. A rede hoteleira é uma das melhores na relação custo-benefício. A infraestrutura para receber eventos não encontra paralelo no mercado. O receptivo turístico possui padrão internacional. E a gastronomia local está em alta. As compras na fronteira, apesar do câmbio desfavorável, ainda são vantajosas. Precisamos acreditar mais em nós mesmos, apostar em nosso potencial. Investir mais em divulgação e promoção, para gerar demanda”.

Segundo Piolla, Foz do Iguaçu irá atrair visitantes mesmo no período de baixa temporada, graças a um calendário de eventos forte. Foi o que ocorreu no dia 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, quando a Meia Maratona das Cataratas trouxe a Foz atletas de várias partes do Brasil. E, nos dias 15 a 17 de junho, haverá mais uma edição do Festival de Turismo das Cataratas, com uma série de novidades, como a primeira edição do Salão Brasileiro de Turismo Termal e SPA, para atender ao público que busca locais onde possa desfrutar de benefícios à saúde, e o Salão de Turismo de Compras de Fronteira, em parceria com a Itaipu e o Ministério do Turismo do Paraguai.

O lançamento da campanha promocional da Itaipu “Faça uma maravilha de viagem. Foz do Iguaçu espera por você!”, juntamente com o lançamento da campanha regional de promoção do Refúgio Biológico Bela Vista, promete despertar a atenção do público final sobre o Destino Iguaçu. Além da cobertura regional, as duas campanhas terão abrangência nacional, especialmente sobre os mercados de Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Campinas.

Foz do Iguaçu deve também se beneficiar com a realização das Olimpíadas no Rio de Janeiro, que vão atrair a atenção do mundo para o Brasil e para as nossas belezas naturais. “E, nesse aspecto, Foz do Iguaçu volta a ser destaque. O câmbio, no patamar em que se encontra, torna o País mais acessível aos turistas estrangeiros, ao mesmo tempo em que inibe as viagens de brasileiros ao exterior”, lembra Piolla.

Ele diz que, “depois de um primeiro semestre confuso, na economia e na política, com reflexos negativos em todos os setores, esperamos um cenário menos conturbado daqui para frente, sobretudo para as férias de julho e o segundo semestre”.

Piolla conclui que Foz do Iguaçu, mais do que outras cidades brasileiras, “tem motivos reais para propagar otimismo. Está numa fronteira dinâmica, multicultural e multiétnica, com intercâmbio entre as três cidades que nunca para; é um destino turístico reconhecidamente acessível em termos de custos; sua imagem continua à prova de arranhões; e temos a Gestão Integrada que vem fazendo acontecer”.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. informação não e o seu forte.