Por Esmael Morais

Requião Filho cobra retomada de investigação da “Quadro Negro”

Publicado em 08/05/2016

Segundo o oposicionista, desde março de 2015 o Ministério Público investiga fraudes em licitações do governo do Paraná que seriam destinadas à construção de escolas. Segundo o parlamentar, em vez de ajudar apurar as irregularidades, o governo do estado agiu para atrapalhar as investigações de corrupção demitindo quem denunciou os roubos.

Esses desvios fizeram muita falta, pois muitos pais não conseguiram matricular seus filhos no início do ano letivo na escola que não ficou pronta e muitas salas de aula ficaram superlotadas.

Requião Filho relembra que um amigo do governador — Maurício Fanini — recebia os pagamentos integrais dos cronogramas financeiros das obras, mas ao invés de escolas quase prontas, eram somente algumas paredes, terrenos descampados ou nada além da fundação.

Para ferver ainda mais o K-suco, o Tribunal Faz de Contas do Estado (TCE) distribuiu para o conselheiro Durval Amaral, ex-deputado do DEM, a tarefa de conferir as contas e as irregularidades da empreiteira Valor — utilizada para desviar os recursos públicos. O diabo é que o próprio Durval é citado como beneficiário do esquema.

Portanto, somente uma CPI para esclarecer esses pontos obscuros e oportunizar defesa para todos os acusados.